Brasília recebe memorial dedicado às tradições de matriz africana

Enviado por / FonteDo Correio Braziliense

Terreiro e centro cultural Ilê Axé Oyá Bagan, situado no Núcleo Rural Tamanduá, celebra a preservação da memória cultural afro-brasileira

Neste sábado (30/7), das 11h às 14h, o terreiro e centro cultural Ilê Axé Oyá Bagan, situado no Núcleo Rural Tamanduá, inaugura o primeiro memorial brasiliense dedicado às tradições de matriz africana e afro-brasileira. Aberto ao público, o evento contará com toque de abertura para Oyá, roda de capoeira com Bando Matilha e almoço tradicional.

Para espantar a intolerância religiosa que paira no país, Ialorixá Mãe Baiana de Oyá, mãe da casa Ilê Axé Oyá, abre as portas do primeiro memorial do DF dedicado às tradições de matriz africana e afro-brasileira. A partir das 11h, Ialorixá conduzirá a rota de apresentação do memorial, que se divide em quatro setores: Espaço Mitologia dos Orixás, um mural artístico com pinturas dos 16 orixás da casa pelo artista Odrus; Espaço Legado de Oyá Bagan, composto por uma exposição fotográfica da memória do terreiro; Espaço Orixás e seus Símbolos, com exposição cenográfica dos orixás da casa; por fim, o Jardim dos Símbolos, que apresenta placas com máscaras das culturas de matrizes africana.

Para além do desejo de colaborar com a aceitação das religiões africanas e afro-brasileiras, o evento volta os olhos para a acessibilidade e a inclusão social. Placas da memória do terreiro estão dispostas com escritas em braile, legendagem e com áudio-descrição do vídeo institucional. A exemplo, no espaço Mitologia dos Orixás, a pintura em exposição foi composta por uma artista com deficiência auditiva.

Após a inauguração, o memorial segue aberto para visitações. Em dias de semana, a visita deve ser agendada por e-mail. Nos fins de semana, o espaço abre em horário comercial, sem necessidade de agendamento. O Núcleo Rural Tamanduá fica situado no Setor de Mansões do Lago Norte, próximo à subida para o Paranoá. 

Serviço

Inauguração do memorial brasiliense dedicado às tradições de matriz africana e afro-brasileira.

Sábado (30/7), das 11h às 14h, no terreiro e centro cultural Ilê Axé Oyá Bagan (Núcleo Rural Tamanduá). Entrada gratuita

+ sobre o tema

Michelle Obama

Michelle LaVaughn Robinson Obama é a esposa do 44º...

Exposição na Biblioteca Parque do Rio lembra trajetória de Martin Luther King

A mostra itinerante Martin Luther King – Legado &...

Hoje na História, 1972: É absolvida militante negra Angela Davis

Angela Yvonne Davis, militante negra, antiga professora de filosofia...

Rosa Parks “Melhor andar com dignidade que rodar na humilhação”

Aos olhos e ouvidos de todo o mundo, a...

para lembrar

Afirmação da cultura negra na capital

Por: Tássia Martins Turbante e outros acessórios resgatam tradições africanas em...

Identificação com a cultura negra através da literatura

A história dos negros no Brasil é marcada, desde...

Projeto turístico Guia Negro percorre monumentos históricos da cultura afro em Salvador

Uma caminhada por 13 pontos históricos de Salvador onde...

Saracura Vai-Vai luta por memória negra no metrô e museu no Bixiga

Não dá para escavar lugares de fundamentos (religiosos), sem...
spot_imgspot_img

Parece, mas não é

Carnaval é uma época do ano em que o Brasil parece ter orgulho de suas raízes africanas —apesar de a festividade ter origem europeia. Quem...

‘Ah, se não Fosse o Ilê Aiyê’: bloco afro mais antigo do país celebra 50 anos de resistência e pioneirismo

Se o bloco afro mais antigo do país enfrentou resistência ao desfilar pelo circuito de Carnaval de Salvador (BA) pela primeira vez, em 1975,...

Camisa Verde e Branco abre hoje desfile do grupo especial em SP

A escola de Samba Camisa Verde e Branco abre hoje (9), às 23h15, a primeira noite de desfiles das escolas de samba do Grupo Especial...
-+=