Cia. Sansacroma apresenta mostra de processos do 1º Fórum de Criação Convivial: A Dança da Indignação

Durante a mostra, que acontece nos dias 28 e 29 de junho, na Casa Popular de Cultura do M’Boi Mirim, e nos dias Dia 30 de Junho e 1º de julho, no Espaço Cultural A Próxima Companhia, 14 artistas independentes irão compartilhar seus processos na metodologia de criação intitulada “Dança da Indignação” 

Enviado para o Portal Geledés 

De 29 de junho a 1º de julho, a Cia. Sansacroma vai realizar uma mostra de processos criativos com 14 artistas independentes que participaram, ao longo do primeiro semestre deste ano, do 1º Fórum de Criação Convivial, no qual a cia paulistana de dança apresentou e desenvolveu sua metodologia própria intitulada de “Dança da Indignação”.

As apresentações ocorrem nos dias 28 e 29 de junho, na Casa Popular de Cultura M’Boi Mirim, na zona sul paulistana; e nos dias 30 de junho e 1º de julho no Espaço Cultural A Próxima Companhia, na zona oeste da capital.

Durante o primeiro semestre de 2017, a Cia. Sansacroma abriu seu espaço, corpo e poros para receber 14 artistas de várias regiões e periferias da grande selva de pedra paulistana com o intuito de compartilhar seus processos e metodologia de criação intitulada “Dança da Indignação”.

A proposta da Cia. foi de encontrar estratégias de aproximar esses artistas; entre eles jovens, acadêmicos, docentes, bailarinos e atores, mulheres, homens, negros, brancas, bichas, lésbicas e héteros, à metodologia que permeia as criações artístico-políticas e sociais enquanto (re)existência no cenário da dança negra paulistana.

Neste momento, compartilhar estas criações com o público se faz necessário na medida em que os artistas se tornam protagonistas de seus processos e precisam compreender na troca e na relação com o outro os impactos, as transformações, fragilidades e potências do que foi construído.

“O corpo está calejado, mas a alma não fica não”, comenta a diretora da Sansacroma, Gal Martins. “O que desejamos aqui é a subversão dos modos de existência, se anteriormente desejávamos o afago para gerar um espaço seguro entre as parcerias, dessa vez o desejo é de gerar energia vital para combatermos os medos, as ameaças, as invisibilidades e os silenciamentos com danças urgentes, furiosas e indignadas”, explica.

Sobre a Cia. Sansacroma – Criada em 2002 pela atriz e artista da dança Gal Martins, a Cia. Sansacroma tem se dedicado a desenvolver trabalhos baseados no hibridismo característico às criações coreográficas na contemporaneidade. O ponto de partida das criações são as poéticas do corpo negro e como ele está inserido na sociedade.  Focaliza temas pertinentes à sociedade atual, no modo em que chegam e afetam a todos diretamente, seja no cotidiano das ruas, nas relações sociais e interpessoais, na mídia ou na própria arte. A Dança da Indignação, conceito criado pela artista, norteia a pesquisa de linguagem estética da companhia, que pretende reverberar no ato dançante as indignações coletivas, numa abordagem política-poética que aponta para as intersecções entre arte e vida. Tendo feito uma escolha singular ao atuar diretamente na periferia sul de São Paulo, este território influencia diretamente o seu processo artístico.

SERVIÇO:

Mostra de processos do 1º Fórum de Criação Convivial

A Dança da Indignação

Realização: Cia. Sansacroma

Direção e curadoria: Gal Martins

Assistente de Direção: Djalma Moura

Onde:

Casa Popular de Cultura do M’Boi Mirim, à Avenida Inácio Dias da Silva, s/n, Piraporinha, São Paulo – SP.

Quando:

Quarta-feira, dia 28 de Junho, às 20h

Processos de: Conrado Carmven, Aysha Nascimento, Bruno Coelho, Wellington All, Inessa Silva, Piu Dominó e Paula Salles

Quinta-feira, dia 29 de Junho às 20h.

Processos de: Luiza Meira, Kako Arancibia, Malu Avelar, Urubatan Miranda, Jo Pereira e Deise de Brito

Capacidade: 120 lugares

Entrada: Pague quanto puder

Telefone: (11) 5514-3408.

Onde:

Espaço Cultural A Próxima Companhia, à Rua Barão de Campinas, 529, Campos Elíseos (próximo à estação de metrô Santa Cecília).

Quando:

Sexta-feira, dia 30 de Junho às 20h

Processos de: Conrado Carmven, Aysha Nascimento, Bruno Coelho, Wellington All, Inessa Silva, Piu Dominó e Paula Salles

Sábado, dia 01 de Julho, às 20h

Processos de: Luiza Meira, Kako Arancibia, Malu Avelar, Urubatan Miranda, Jô Pereira e Deise de Brito

Capacidade: 90 lugares

Entrada: Pague quanto puder

Telefone: (11) 3331-0653.

Duração: 70 minutos

Classificação etária: 12 anos

Essa ação compõem o projeto “A Dança da Indignação – 15 anos da Cia Sansacroma” aprovado pela 20ª Edição do Programa de Fomento à Dança para a cidade de São Paulo

Mais informações:

https://www.facebook.com/sansacroma/

https://www.facebook.com/events/116788205589705/

+ sobre o tema

Edson Cardoso, o Jacaré do É o Tchan, se firma como ator dramático

O baiano, que integra o programa 'Aventuras do Didi',...

Rapper angolano Malef ganha prémio em Festival Internacional de Hip Hop

O rapper Malef ganhou o prémio de melhor artista...

Olímpiadas 2012: Serena Williams na final após vitória arrasadora

A norte-americana Serena Williams está classificada para a final...

Mostra divulga produções artísticas da periferia de São Paulo

Por: Camila Maciel São Paulo – Cantar, recitar,...

para lembrar

Riquelme: ‘Paulinho é um Lampard negro’

Argentino do Boca Juniors rasgou elogios ao ex-corintiano e...

Spike Lee faz ‘vaquinha’ na Internet para financiar novo filme

Cineasta norte-americano pede ajuda aos internautas para arrecadar verba...

“O Mordomo” examina questão racial ao longo das décadas nos EUA

Filme de Lee Daniels é inspirado na história de...
spot_imgspot_img

Manifest: recriando a memória da Europa sobre o tráfico de pessoas escravizadas

Pessoas escravizadas. Pessoas. Antes de serem comercializadas e transportadas do continente africano pelo oceano Atlântico para as Américas e para a Europa, tendo Portugal,...

Pioneiro, Nelson Triunfo enfrentou ditadura para dançar break na rua

Pioneiro do break no Brasil, o artista Nelson Triunfo conta que foi preso muitas vezes por dançar na rua. “Eu ia preso direto. Tinha um delegado...

Casa onde viveu Lélia Gonzalez recebe placa em sua homenagem

Neste sábado (30), a prefeitura do Rio de Janeiro e o Projeto Negro Muro lançam projeto relacionado à cultura da população negra. Imóveis de...
-+=