sexta-feira, setembro 24, 2021
InícioQuestão RacialViolência Racial e PolicialComeça nos EUA novo julgamento sobre morte de negro pela polícia

Começa nos EUA novo julgamento sobre morte de negro pela polícia

Um emblemático julgamento pelo homicídio de um homem negro em um furgão da polícia começou nesta quinta-feira em Baltimore, cidade símbolo nos Estados Unidos da ruptura entre comunidades.

Edward Nero, o policial acusado, compareceu livremente e tomou seu lugar na sala vestindo terno e gravata, cercado de seus advogados. Nem ele, nem seus defensores estão autorizados a falar com a imprensa.

O policial é acusado de violência intencional, colocando em risco a vida de terceiros, e erros pessoais, e é um dos seis agentes que será julgado separadamente na cidade portuária pela morte de Freddie Gray, de 25 anos.

A vítima sofreu uma fratura brutal nas vértebras cervicais enquanto era transportado pela polícia. Sua morte reavivou o debate nos Estados Unidos sobre a suposta brutalidade das autoridades policiais contra afro-descendentes.

Um dos seis agentes já foi julgado em dezembro, mas após duas semanas de audiência, o processo foi concluído com uma surpreendente anulação: os juízes não conseguiram chegar a um veredicto.

Assim, mais de um ano depois da morte de Gray, ninguém ainda foi condenado e não existem respostas sobre o que se passou naquele furgão.

Os policiais acusados (três brancos e três negros, incluindo uma mulher) sustentam a versão de morte acidental.

Para a família de Gray e boa parte dos afro-americanos da cidade, se trata, pelo contrário, de um caso clássico de brutalidade policial contra a sua comunidade.

“O homicídio“, como o promotor do estado de Maryland se refere ao caso, foi considerado racista em algumas ocasiões.

Os fatos deram espaço a motins, distúrbios, saques e vandalismo. O presidente Barack Obama condenou a violência, ainda que assinalando os “inquietantes questionamentos” que continuavam sem resposta.

De muitas maneiras, o caso Grey se tornou emblemático, por ilustrar a ruptura entre as comunidades e os supostos abusos da polícia de Baltimore, acusada de atuar apenas de forma repressiva contra os negros.

RELATED ARTICLES