Conversa de Portão #4: A literatura de Cidinha de Silva

Enviado por / FonteECOA

Cidinha da Silva, 53, é uma escritora prolífica e premiada. Mas ainda tem que trabalhar para financiar essa atividade. “85% do meu tempo eu passo trabalhando para conseguir financiar algumas horinhas de escrita durante a semana e no final de semana. Horinhas, mesmo. Horinhas muito caras”, diz a convidada do quarto episódio do Conversa de Portão (a partir de 8:56 do arquivo acima)

Nascida em Minas Gerais, Cidinha mora em São Paulo e tem dezessete livros publicados, entre crônicas, contos e dramaturgias. É editora e fundadora da Kuanza Produções, e em 2019 recebeu o prêmio Clarice Lispector da Biblioteca Nacional pela obra “Um Exu em Nova York”. Suas publicações já foram traduzidas para inglês, espanhol, italiano e alemão. Seus textos, cheios de africanidades e ancestralidades, já foram utilizados também em vestibulares de instituições como USP e Unicamp.

Agora, até as horinhas autofinanciadas estão ameaçadas. Segundo Cidinha, a aprovação da proposta de um imposto de 12% sobre livros acabaria com as editoras independentes. “Esse imposto seria o fim, porque a conta nunca iria fechar. As editoras já pagam impostos. O livro não é coisa não tributada no Brasil. É um tipo de aumento proposto nessa malfadada reforma tributária que quer, na verdade, é robustecer esse projeto de emburrecimento da população”, afirma (a partir de 7:04 do arquivo acima).

O encanto pela palavra está em Cidinha desde que ela aprendeu a ler, quando a atividade tornou-se um divertimento feito com o que lhe chegasse à mão, como quadrinhos e a coleção Para Gostar de Ler, parte da formação literária de muitos brasileiros. Muito disso foi proporcionado por políticas públicas específicas. “Tive a sorte de estudar em escolas públicas que tinham sala de leitura, ou mesmo biblioteca, e eu era frequentadora assídua desses espaços”, conta (a partir de 3:37 do arquivo acima).

Conversa de Portão é um podcast produzido pelo Nós Mulheres da Periferia em parceria com o UOL Plural, um projeto colaborativo do UOL com coletivos independentes. Todas as terças-feiras, o programa traz a opinião, análise ou histórias de mulheres sobre notícias que são importantes para as mulheres da periferia. Este episódio tem a apresentação da jornalista Jéssica Moreira.

Os podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts e em todas as plataformas de distribuição. Você pode ouvir Conversa de Portão, por exemplo, no Youtube, no Spotify, no Google Podcasts e no Deezer.

+ sobre o tema

Racismo científico, definindo humanidade de negras e negros

Esse artigo foi pensado para iniciar um diálogo sobre...

“Pérola Negra: Ruth de Souza” traça panorama da carreira da atriz

Mostra que entra em cartaz no CCBB traz 25...

Mylene Pereira Ramos: a juíza que defende maior diversidade na magistratura

“Em nossa sociedade, fatores como raça e condição social,...

para lembrar

Caixa Econômica Federal tira do ar anúncio que retrata Machado de Assis como um homem branco

A Caixa Econômica Federal suspendeu a veiculação de uma...

A questão negra em Machado de Assis

Em 2003 é aprovada na Constituição Brasileira a lei...

5 livros para compreender a miséria humana

Autores como Fiódor Dostoievski, José Saramago, Graciliano Ramos, Victor...

Curso de LITERATURA NEGRO-BRASILEIRA

LITERATURA NEGRO-BRASILEIRA Prof. Dr. Luiz Silva (Cuti)...
spot_imgspot_img

Crianças do Complexo da Maré relatam violência policial

“Um dia deu correria durante uma festa, minha amiga caiu no chão, eu levantei ela pelo cabelo. Depois a gente riu e depois a...

Ela me largou

Dia de feira. Feita a pesquisa simbólica de preços, compraria nas bancas costumeiras. Escolhi as raríssimas que tinham mulheres negras trabalhando, depois as de...

Em autobiografia, Martinho da Vila relata histórias de vida e de música

"Martinho da Vila" é o título do livro autobiográfico de um dos mais versáteis artistas da cultura popular brasileira. Sambista, cantor, compositor, contador de...
-+=