Curso: Violência, Gênero e Raça: Resistência e caminho de superação – Inscreva-se

Artigo produzido por Redação de Geledés

Nas sociedades brasileira, latino-americana e caribenha as assimetrias de raça e de gênero integram o cotidiano das relações sociais, que resultam em violências perceptíveis nas estatísticas e nos depoimentos de mulheres, em especial as negras e indígenas, em espaços onde podem ser ouvidas.

Arte: KKSantos

Os dados estatísticos revelam a presença das mulheres nos diferentes indicadores de vulnerabilidade social. Elas vivenciam exclusões socioeconômicas, políticas e culturais e sofrem as consequências do racismo, do sexismo e da intolerância em experiências de violência verbal, física e psicológica.

A violência social, de gênero e de raça tem suas causas na estrutura social excludente, que naturaliza a sua invisibilidade e justifica a discriminação e preconceitos contra estes grupos.

O Curso Latino Americano de Pastoral e Relações de Gênero trará este tema para o debate de forma a contribuir com a compreensão das origens e consequências da violência contra as mulheres. Diante desta proposta, o curso terá por objetivos:

a) aprofundar a reflexão sobre as questões de gênero e raça nas sociedades brasileira, latino-americana e caribenha, enquanto elementos que estruturaram discriminações e desigualdades;

b) oferecer ferramentas de análise para a compreensão do fenômeno de violência vivido pelas mulheres;

c) construir caminhos de resistência e de superação da violência, buscando o rompimento da omissão, do silenciamento e da indiferença com as desigualdades de raça e de gênero gênero;

d) contribuir com o fortalecimento de ações que possibilitem superar as violências atuais e propor caminhos para que as novas gerações, de mulheres e de homens, não herdem os efeitos da violência estrutural vivida na atualidade e proponham novos modos de vida e de relações horizontais e fraternas entre os gêneros.

O Centro Ecumênico de Serviço à Evangelização e Educação Popular – CESEEP oferece espaço para o estudo e aprofundamento dessas questões com uma abordagem multidisciplinar, a partir de diferentes ângulos: econômico, político, social, cultural, ambiental, teológico e de gênero.

Com base na metodologia da Educação Popular o
curso favorece um intercâmbio pluricultural das experiências e sonhos dos participantes no campo teórico e de suas práticas políticas, sociais e culturais.

Faça suas inscrições (clique aqui)

+ sobre o tema

LIVE – A educação de meninas negras em tempos de pandemia: o aprofundamento das desigualdades

Geledés Instituto da Mulher Negra realizará na próxima quarta-feira...

Durban +10: Discurso de Rodnei Jericó na ONU

Discurso de Rodnei Jericó na Assembléia Geral da ONU...

Angela Davis visita sede de Geledés e conversa com Coalizão Negra por Direitos

Durante sua primeira viagem à cidade de São Paulo,...

para lembrar

Mascaradas de encerramento – Gelede

Assim como as mascaradas introdutórias trazem o festival ao...

Mulheres Negras nas ruas. Ouçam nossas vozes!

Somos as mulheres negras de São Paulo que ajudaram...

STF reconhece inconstitucionalidade de proibição de gênero em escolas

O Supremo Tribunal Federal (STF) concluiu nesta sexta-feira, dia...

Comitê irá monitorar políticas contra violências a pessoas LGBTQIA+

O Brasil tem, a partir desta sexta-feira (5), um Comitê de Monitoramento da Estratégia Nacional de Enfrentamento à Violência contra Pessoas LGBTQIA+, sigla para...

O Brasil branco é um produto de cotas

Quem observa a oposição às cotas raciais nas universidades e no serviço público é capaz de pensar que o Brasil nunca adotou cotas anteriormente. Errado. O...

COP28 – Movimento Negro e perspectiva para o futuro climático

Nos dias 6 e 7 de novembro de 2023, seguido de um treinamento in loco em Dubai no dia 4 de dezembro, as organizações...
-+=