Fundação Casa Botucatu recebe prêmio por trabalho no eixo étnico-racial

Prêmio Educação Afirmativa será entregue, na segunda (17/11), pela prefeitura da cidade como reconhecimento ao trabalho desenvolvido com adolescentes

por Laureen Mello Nottolini  via Guest Post para o Portal Geledés

Divulgação

O trabalho realizado pelo centro da Fundação CASA de Botucatu no eixo étnico-racial, por meio do Comitê Quesito Cor, da Fundação CASA, teve sua excelência reconhecida pela prefeitura daquela cidade. Na próxima segunda-feira (17 de novembro), o centro receberá o Prêmio Educação Afirmativa.

O evento acontece durante a abertura dos Jogos da Igualdade, no ginásio da Ferroviária de Botucatu, a partir das 19h.

A premiação é dirigida a professores, gestores e entidades em reconhecimento à promoção da igualdade. “Saber que o trabalho é reconhecido é muito bom. É um estímulo para que a gente continue trabalhando, lutando por esses meninos. O prêmio vem coroar nossa dedicação, mas mostrar que temos muito mais a fazer”, disse o coordenador pedagógico, Cleberson Luís da Silva.

Na Fundação CASA, o Quesito Cor discute assuntos como a negritude, a questão racial, religiões de matrizes africanas, ações afirmativas, e leis, como o Estatuto da Igualdade Racial.

“É muito importante trabalhar temas como estes com os adolescentes. Eles vivem e sentem o preconceito, porque a maioria no centro é negra. Por isso, devemos discutir e estudar essas questões para que saibam lidar, saibam dos direitos”, comentou.

PRÊMIO EDUCAÇÃO AFIRMATIVA BOTUCATU
Data: Segunda-feira (17 de novembro), a partir das 19h
Local: Ginásio da Associação Atlética Ferroviária
Endereço: Rua Manoel Silva s/n – Vila São Lúcio – Botucatu

Leia a também:  

 

** Este artigo é de autoria de colaboradores ou articulistas do PORTAL GELEDÉS e não representa ideias ou opiniões do veículo. Portal Geledés oferece espaço para vozes diversas da esfera pública, garantindo assim a pluralidade do debate na sociedade.

+ sobre o tema

Bolsista do ProUni convida Lula para festa de formatura

A estudante de jornalismo Rita Correa Garrido, de 26...

UNEafro abre inscrições para cursinho

UNEafro abre inscrições para cursinho VAGAS ABERTAS 2017 Você quer ser...

Universitários brasileiros são brancos, moram com os pais e estudam pouco

Pesquisa traçou perfil do estudante que cursa os últimos...

Como a Academia se vale da pobreza, da opressão e da dor para sua masturbação intelectual

Texto originalmente publicado em RaceBaitR como “How Academia Uses...

para lembrar

Obra infanto-juvenil em inglês aborda preconceito racial

Lançamento do livro “The Black Butterfly” (A borboleta Preta), de...

A violência policial, a morte negra e a dor branca

Passados três meses do pico das manifestações que...

Educação física, arte, sociologia e filosofia ficam no Ensino Médio

A Câmara dos Deputados decidiu incluir na reforma do...
spot_imgspot_img

Faculdade de Educação da UFRJ tem primeira mulher negra como diretora

Neste ano, a Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) tem a primeira mulher negra como diretora. A professora Ana...

O que a proibição de livros nos diz sobre o futuro que nos aguarda

Reportagem da Agência Pública mostrou que existe um movimento coordenado para barrar a entrada de determinados livros no sistema prisional de Minas Gerais. Apenas títulos...

Encontro anual do SETA definiu ações e estratégias para uma educação antirracistae emancipatória.

Geledés - Instituto da Mulher Negra participou do planejamento anual Projeto SETA  (Sistema de Educação Por Uma Transformação Antirracista) em Paraty, Rio de Janeiro....
-+=