Grávida, solteira, mandada embora, deprimida e morta com 17 tiros: uma tragédia americana

 

Mirian

Gostei muito de Breaking Bad por mostrar os Estados Unidos como eles são: o professor de química que não tem a menor condição de pagar um tratamento de câncer e acaba virando traficante.

Uma história que li hoje me remeteu ao pesadelo americano. E me comoveu.

Uma mulher de 34 anos, Mirian Carey, profissional da área de higiene dental, tentou entrar com seu carro numa área proibida da Casa Branca. Segundo relato de sua mãe, Mirian sofria de depressão pós-parto. Sua filha de um ano estava com ela no carro.

A polícia tentou deter Mirian, mas ela não saiu do carro. Deu marcha à ré e arrancou. Câmaras de transeuntes captaram a perseguição, e a história é o assunto do dia entre os americanos.

Quando o carro finalmente parou, Mirian recebeu uma saraivada de tiros de vários policiais. Ficou desfigurada, o que dificultou a identificação.

Estava desarmada.

Por milagre, sua filha escapou incólume. Quer dizer, tanto quanto é possível você escapar incólume quando tem um ano e vê sua mãe ser fuzilada.

O que Mirian estava fazendo na Casa Branca? De acordo com versões de gente próxima a ela, Mirian imaginava que Obama estava se comunicando de alguma forma com ela. É possível que o aparente delírio fosse consequência dos remédios fortes que ela tomava para lidar com a depressão.

O que mais me doeu foi ver as circunstâncias de sua maternidade traumática.

Mirian trabalhava numa clínica odontológica quando levou um tombo que a levou a um hospital. Ali, ficou sabendo que estava grávida. Era solteira. Poucas semanas depois de retornar ao trabalho, foi mandada embora.

Grávida. Solteira. Desempregada. Não é fácil manter a sanidade mental em tais circunstâncias.

A proteção às grávidas nos Estados Unidos é zero. Numa frase frequentemente citada de um comediante, os Estados Unidos não dão educação pública de qualidade para suas crianças e nem saúde gratuita decente para seus velhos, mas são muito bons em atirar bombas em outros países.

Bem, também não dão muita coisa a grávidas como Mirian. O que ela recebeu mesmo, no fim, foram 17 tiros.

 

Fonte: Diário do Centro do Mundo

+ sobre o tema

Rihanna lidera parada de singles por quinta semana consecutiva

A música "Rude Boy" de Rihanna liderou as paradas...

África pop da Imperatriz quer exaltar o negro e combater o preconceito

Carros coloridos têm inspiração em trabalho de artista e...

Cansado das mesmas musicas e dos mesmos artistas? Olha o que separamos para você

Deixei de ouvir radio, são sempre os mesmos artistas,...

Rap politizado mantém raízes e ecoa nos saraus

O rapper Crônica Mendes destaca a importância dos...

para lembrar

20 de julho de 1925 nascia Frantz Fanon

Autor de Pele Negra, Mascaras Brancas e Os Condenados da...

Velório de David Miranda será na Câmara Municipal do RJ

O corpo do ex-vereador David Miranda, falecido na manhã desta...

Bino e Fino ensinado história da África para crianças

Veja um trecho - em inglês "A programação infantil é...
spot_imgspot_img

Cientistas revelam mistério por trás dos antiquíssimos baobás, as árvores da vida

Cientistas afirmam ter resolvido o mistério em torno da origem dos antigos baobás. De acordo com análises de DNA, as árvores teriam surgido pela primeira...

Dia 21, Maurício Pazz se apresenta no Instrumental Sesc Brasil

Maurício Pazz, paulistano, nos convida a mergulhar nos diferentes sotaques oriundos das diásporas africanas no Brasil. No repertório, composições musicais do próprio artista, bem...

‘Está começando a segunda parte do inferno’, diz líder quilombola do RS

"Está começando a segunda parte do inferno", com esta frase, Jamaica Machado, líder do Quilombo dos Machado, de Porto Alegre, resumiu, com certo desânimo, a nova...
-+=