Grupo antirracismo critica apoio do Liverpool a Suárez

Um grupo que realiza campanhas contra o racismo no futebol declarou neste domingo que a reputação global do Liverpool está sendo manchada com o apoio dado pelo clube a Luis Suárez, que foi punido por abuso racial contra um adversário.

O atacante uruguaio foi suspenso por oito jogos no mês passado após proferir ofensas raciais contra Patrice Evra, do Manchester United, durante uma partida do Campeonato Inglês, no dia 15 de outubro, em Anfield Road.

Após a divulgação do relatório da Associação Futebol da Inglaterra (FA, na sigla em inglês), o Liverpool analisa se entra com um recurso, mas tem apoiado Suárez. Recentemente, jogadores entraram em campo para uma partida com camisetas que estampavam o rosto do uruguaio.

“Nós convocamos o clube a pensar novamente sobre a sua campanha pública para contestar as acusações e contestar os princípios envolvidos no caso”, disse Piara Powar, diretor executivo do grupo Futebol Contra o Racismo na Europa. “Como um clube com uma boa reputação internacional, a veemência de suas campanha está, sem dúvida, causando-lhes danos à reputação”.

Clube questiona acusação de Evra

O Liverpool, que tem até 13 de janeiro para recorrer, já havia questionado a veracidade das declarações de Evra, mas o relatório de 115 páginas diz que o francês foi uma “testemunha crível”, ao contrário das defesa apresentada por Suárez, considerada insustentável. O uruguaio chamou Evra de “negro” sete vezes durante o jogo, segundo o relatório.

Powar acredita que a questão do racismo está finalmente sendo tratada corretamente no futebol inglês. “Parece que a FA tem tomado seu tempo para iniciar um processo que seja ao mesmo tempo justo na sua aplicação de regras de futebol e de acordo com o princípios da justiça britânica,” disse Powar.

“Abusos raciais entre os jogadores no campo de jogo tem sido um tabu não falado por muito tempo, uma área que tem sido insatisfatoriamente tratada no futebol inglês apesar de muitos casos ao longo dos últimos dez anos”.

 

 

 

Fonte: Rádio Clube

+ sobre o tema

Mulheres pretas e pardas são as mais afetadas pela dengue no Brasil

Mulheres pretas e pardas são o grupo populacional com...

‘Me sinto decapitado’: por que cada vez mais homens têm o pênis amputado no Brasil?

Uma verruga no pênis fez João*, de 63 anos,...

Direito ao voto feminino no Brasil completa 92 anos

As mulheres são atualmente 52% do eleitorado brasileiro, segundo...

para lembrar

Carta de repúdio ao racismo praticado na formatura de História e Geografia da PUC

Durante a tradicional cerimônia de formatura da PUC, onde...

PARANÁ: Caso de racismo leva treinador a pedir demissão no estadual

  O treinador Agenor Picinin pediu demissão do...

‘Prefiro que a loira me atenda’, diz cliente a atendente negra em restaurante

Após ser atendida pela funcionária branca e de cabelos...
spot_imgspot_img

Quanto custa a dignidade humana de vítimas em casos de racismo?

Quanto custa a dignidade de uma pessoa? E se essa pessoa for uma mulher jovem? E se for uma mulher idosa com 85 anos...

Unicamp abre grupo de trabalho para criar serviço de acolher e tratar sobre denúncias de racismo

A Unicamp abriu um grupo de trabalho que será responsável por criar um serviço para acolher e fazer tratativas institucionais sobre denúncias de racismo. A equipe...

Peraí, meu rei! Antirracismo também tem limite.

Vídeos de um comediante branco que fortalecem o desvalor humano e o achincalhamento da dignidade de pessoas historicamente discriminadas, violentadas e mortas, foram suspensos...
-+=