Grupo antirracismo critica apoio do Liverpool a Suárez

Um grupo que realiza campanhas contra o racismo no futebol declarou neste domingo que a reputação global do Liverpool está sendo manchada com o apoio dado pelo clube a Luis Suárez, que foi punido por abuso racial contra um adversário.

O atacante uruguaio foi suspenso por oito jogos no mês passado após proferir ofensas raciais contra Patrice Evra, do Manchester United, durante uma partida do Campeonato Inglês, no dia 15 de outubro, em Anfield Road.

Após a divulgação do relatório da Associação Futebol da Inglaterra (FA, na sigla em inglês), o Liverpool analisa se entra com um recurso, mas tem apoiado Suárez. Recentemente, jogadores entraram em campo para uma partida com camisetas que estampavam o rosto do uruguaio.

“Nós convocamos o clube a pensar novamente sobre a sua campanha pública para contestar as acusações e contestar os princípios envolvidos no caso”, disse Piara Powar, diretor executivo do grupo Futebol Contra o Racismo na Europa. “Como um clube com uma boa reputação internacional, a veemência de suas campanha está, sem dúvida, causando-lhes danos à reputação”.

Clube questiona acusação de Evra

O Liverpool, que tem até 13 de janeiro para recorrer, já havia questionado a veracidade das declarações de Evra, mas o relatório de 115 páginas diz que o francês foi uma “testemunha crível”, ao contrário das defesa apresentada por Suárez, considerada insustentável. O uruguaio chamou Evra de “negro” sete vezes durante o jogo, segundo o relatório.

Powar acredita que a questão do racismo está finalmente sendo tratada corretamente no futebol inglês. “Parece que a FA tem tomado seu tempo para iniciar um processo que seja ao mesmo tempo justo na sua aplicação de regras de futebol e de acordo com o princípios da justiça britânica,” disse Powar.

“Abusos raciais entre os jogadores no campo de jogo tem sido um tabu não falado por muito tempo, uma área que tem sido insatisfatoriamente tratada no futebol inglês apesar de muitos casos ao longo dos últimos dez anos”.

 

 

 

Fonte: Rádio Clube

+ sobre o tema

Racismo à portuguesa ganha força com ultradireita e orgulho do passado colonial

Enquanto parte da sociedade lusitana reverencia um passado histórico...

No Dia Nacional de Combate à Discriminação Racial, senadores pedem fim do preconceito

Ao lembrar o Dia Nacional de Combate à Discriminação...

Eu Pareço suspeito?

A campanha "Eu Pareço Suspeito?" é um instrumento...

Racismo é o principal motivo pela morte de 53 índios, diz Cimi

Há anos, o estado figura como o mais violento...

para lembrar

O que está acontecendo entre os atletas negros dos EUA e Donald Trump

Desde o ano passado que dezenas de jogadores negros...

Nem pense em me matar

Segunda Dona Maria Terça, Isabela Quarta, a Zumira Quinta a Dona Eva Sexta,...

Em entrevista, policiais revelam como agem os grupos de extermínio em SP

Agentes afirmam que esquadrões de morte são organizados por...
spot_imgspot_img

Da neutralidade à IA decolonial

A ciência nunca esteve isenta das influências e construções históricas e sociais do colonialismo. Enquanto a Revolução Industrial é frequentemente retratada como o catalisador...

O papel de uma líder branca na luta antirracista nas organizações 

Há algum tempo, tenho trazido o termo “antirracista” para o meu vocabulário e também para o meu dia a dia: fora e dentro do...

Mortes pela polícia têm pouca transparência, diz representante da ONU

A falta de transparência e investigação nas mortes causadas pela polícia no Brasil foi criticada pelo representante regional para o Escritório do Alto Comissariado...
-+=