Indesejadas nos EUA: Brasileiras são abandonadas por autoridades em centro para deportados nos EUA

A NOITE DE 7 de novembro, Jayne Alves Vilas Novas, uma jovem mineira de 19 anos, colocou sua filha de dois anos para dormir na Instalação Residencial Municipal de Berks, na Pensilvânia. Para além das paredes de tijolos aparentes do prédio que abriga imigrantes sem documentos — a maioria mulheres e seus filhos, em busca de asilo nos Estados Unidos —, a atenção da nação norte-americana era consumida pela eleição presidencial que se iniciaria na manhã seguinte. A mente de Jayne, porém, estava em outro lugar.

Por Helena Borges e Ryan Devereaux, do TheIntercept

Jayne Alves Vilas Novas e sua filha.

Foto: Facebook

A jovem pensava sobre a série tumultuosa de acontecimentos que a levaram a sair do Brasil, o homem que transformou sua vida em um pesadelo e a deportação que ela e sua filha evitaram, por pouco, semanas antes. Foi então que o pavor a consumiu: estremeceu ao considerar a possibilidade de oficiais americanos tentarem, mais uma vez, expulsá-las  do país. Imaginou guardas tirando as duas de suas camas no meio da noite, para então enxotá-las de volta ao outro lado da fronteira, como viu acontecer com tantas outras famílias. Chorando, entrou no banheiro, tirou a lâmina de um apontador de lápis e pressionou-a contra o pulso.

Uma companheira de quarto estava acordada e conseguiu conversar com a jovem para trazê-la de volta a si. Jayne estava febril. Os cortes eram superficiais. Lavou, fez curativos por conta própria e, dentro de dias, eles sumiram. As motivações que a haviam feito cruzar as fronteiras nacionais e racionais, no entanto, permaneciam.

Onze semanas antes, Vilas Novas e sua filha apareceram no serviço de fronteira dos EUA. Em território americano, elas buscavam uma vida mais segura e a parte da família que já vivia por lá. Os dois irmãos de Jayne vivem no Massachusetts com seu tio, que tem cidadania americana, e com a tia, que é residente permanente.

Leia a reportagem completa no The Intercept Brasil.

 

+ sobre o tema

Episódio de Mano a Mano traz reflexão sobre igualdade racial no Brasil com Mano Brown e Sueli Carneiro

Mano Brown recebe a ativista e intelectual Sueli Carneiro no Original Spotify Mano...

Loja Renner é acusada de transfobia

Pelo Facebook, uma transexual relatou o constrangimento que passou...

para lembrar

Dilma diz que está preocupada com violência contra mulher

A presidenta Dilma Rousseff afirmou que está preocupada com...

8 de março: manifestação sai às ruas de São Paulo pelos direitos da mulher

Manifestação pelos direitos da mulher sai pelas ruas de...

Jurema Werneck: ‘Ser mulher negra no Brasil de hoje é sinônimo de luta’

Em entrevista ao HuffPost Brasil, diretora da Anistia Internacional...
spot_imgspot_img

TSE realiza primeira sessão na história com duas ministras negras

O TSE realizou nesta quinta (9) a primeira sessão de sua história com participação de duas ministras negras e a quarta com mais ministras...

Em reunião com a ministra das Mulheres, movimentos denunciam casos de estupros e violência em abrigos para atingidos pelas enchentes no RS

Movimentos feministas participaram de uma reunião emergencial com a ministra da Mulher, Cida Gonçalves, no final da tarde desta terça-feira (7), de forma online....

Documentário sobre Ruth de Souza reverencia todas as mulheres pretas

Num dia 8 feito hoje, Ruth de Souza estreava no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. O ano era 1945. Num dia 12, feito...
-+=