Justiça veta parte de lei do ABC Paulista que proíbe o aborto legal

Desembargador destaca em decisão que 'aborto é crime'; ação foi proposta pela deputada Ediane Maria e pela presidente do PSOL em Santo André, Andréia Barbosa

O Órgão Especial do Tribunal de Justiça de São Paulo decidiu suspender parte de uma lei promulgada no município de Santo André, no ABC Paulista, que veta a realização de abortos mesmo em casos já previstos pela legislação.

A decisão atende a uma ação apresentada pela deputada estadual de São Paulo Ediane Maria (PSOL) e pela presidente do diretório do PSOL em Santo André, Andréia Barbosa. A lei foi sancionada no mês passado, após a Câmara de vereadores derrubar um veto do prefeito Paulo Serra (PSDB).

Pela norma, agora restringida, ficou proibida qualquer política pública “que incentive ou promova a prática do aborto”. Punições contra servidores públicos —como médicos, por exemplo— que realizem o procedimento em qualquer hipótese, mesmo nas que contam com respaldo da lei, também eram previstas.

Ao analisar o caso, o desembargador Ricardo Dip não quis vetar a lei municipal em sua íntegra, mas suspendeu o uso do termo “promova”, liberando a realização do procedimento legal. O magistrado também anulou todo o artigo que versa sobre punições a servidores públicos.

De acordo com Dip, a tentativa de legislar sobre o Código Penal brasileiro e sobre os servidores públicos extrapola a competência da Câmara Municipal de Santo André.

“Dá-se que o SUS [Sistema Único de Saúde], em âmbito nacional, tem entendido executável o aborto em dadas hipóteses, tendo o mesmo editado uma norma técnica sobre prevenção e tratamento dos agravos resultantes da violência sexual contra mulheres e adolescentes”, decidiu Dip.

“Desta maneira, há aparente vício competencial dizer, de forma na edição de preceito, contrário à normativa nacional, emanado de município”, afirmou também.

O desembargador, porém, disse não vislumbrar qualquer risco em preservar os trechos da lei que vedam o incentivo à interrupção da gestação. “O aborto é crime”, destacou, citando os artigos do Código Penal que proíbem a prática.

Para a deputada Ediane Maria, a iniciativa da Câmara Municipal de Santo André representou um grande retrocesso. “É lamentável que, em pleno 2023, com o debate de legalização do aborto sendo feito de maneira qualificada, como proteção à vida das mulheres, em todo mundo e agora aqui no Brasil no STF, a gente assista uma tentativa de retrocesso como essa”, afirmou a parlamentar, ao protocolar a ação.

+ sobre o tema

Ativista Stephanie Ribeiro dá um “soco” no racismo com texto viral sobre amor próprio

Stephanie Ribeiro, 23 anos, é uma inspiração para todas...

Criolo e as lições contra homofobia

Kleber Cavalcante Gomes, conhecido como Criolo, é um artista...

Mulheres conquistam a política no México

A partir de setembro, quase o mesmo número de...

para lembrar

Seios achatados: uma tortura para que as meninas não virem mulheres

É uma prática tradicional e pouco investigada, feita em...

Quilombola capixaba lança primeiro clube de leitura antirracista do Brasil

Com entrega mensal de livros a associados, Pretaria BlackBooks...

Após Nobel, Malala diz querer ser primeira-ministra do Paquistão

A estudante e ativista paquistanesa Malala Yousafzai disse à...
spot_imgspot_img

Casa Sueli Carneiro abre as portas ao público e apresenta o III Festival Casa Sueli Carneiro, pela primeira vez em formato presencial

RETIRE SEU INGRESSO A Casa Sueli Carneiro, fundada em dezembro de 2020 e atuando em formato on-line desde abril de 2021, é uma entidade criada...

Aborto legal: falhas na rede de apoio penalizam meninas e mulheres

As desigualdades sociais no Brasil podem explicar a razão para que meninas e mulheres busquem apoio para o aborto legal também após 22 semanas...

Referência do feminismo negro, Patricia Hill Collins vem ao Brasil para conferência, curso e lançamento de livro

Referência do feminismo negro, a socióloga estadunidense Patricia Hill Collins participa, nesta quarta-feira (19), de um evento em Salvador, na Universidade do Estado da Bahia (Uneb)....
-+=