Lelê Teles: Bandido bom é bandido branco

BANDIDO BOM É BANDIDO BRANCO

Por Lelê Teles no Maria Frô

Reprodução/ Twitter

A glamourização do branco faz com que um mendigo, veja você, vire um mendigato; a traficante branca é chamada de jovem, linda e dentista pelo noticiário; a ladra de automóveis é chamada de estudante e garota

Corta pra mim.

Agora eu te pergunto, se fossem negros qual seria o tratamento? Primeiro que o moleque sem camisa e sem estudo seria chamado de traficante perigoso e se sorrisse na foto o chamariam de cínico e frio, diriam que ele zombava da polícia e da sociedade.

Vai vendo.

A modelo loira, viciada em crack, ganhou tratamento gratuito, pago por uma emissora de TV.

Enquanto isso, “pretos imundos” tomam porrada na cracolândia.

A faculdade de medicina da USP tá cheia de estupradores brancos e ricos, não aparece um nome no noticiário, uma mísera foto.

As acusações são graves. As vítimas estão lá dando nomes. Cadê os perdigueiros, cadê os repórteres investigativos, quêde aqueles valentes jornalistas que entram em favelas com coletes à prova de bala, atrás do Caveirão a procurar adolescente aviãozinho, magro, de chinelos e sem camisa?

Custa dar um pulo na USP, respirar um ar puro e perguntar para as moças violentadas quem são os estupradores?

Estupradores, filhos de mulher, gente execrada até por bandidos perigosos, estão a ser protegidos pela mídia.

O macho branco tudo pode.

Recentes pesquisas do IPEA e do Ministério da Justiça revelam que a maioria das penas alternativas são aplicadas aos brancos, negros são com maior frequência condenados à prisão.

Depois perguntam por que diabos as focas estão a estuprar pinguins.

Palavra da salvação.

 

 


*Lelê Teles é jornalista, roteirista do programa Estação Periferia – TV Brasil e TV Aperipê.
Apresentador do programa de música africana Coisa de Negro – Aperipê FM.
Colunista do jornal sergipano Folha da Praia.

 

Para quem não entendeu o texto segue um link de como são tratados os mendigos pobres e seus algozes, onde a senhora racista e violenta é considerada doente mental

‘Vocês tem que recolher este lixo, este macaco’ disse mulher presa por racismo na avenida Paulista

Mendigo gato e mendigo lixo: a cor de quem merece ou não ficar na rua

+ sobre o tema

Juventude negra, ciência e educação

Mesmo com os avanços já promovidos pela lei 12.711/2012, que nacionalizou...

STF volta a proibir a apreensão de menores sem o devido flagrante nas praias do Rio

Após audiência realizada na manhã desta quarta-feira, em Brasília, o STF determinou...

para lembrar

Em busca de bons propósitos coletivos em tempo de crises

Por Sérgio Martins A experiência da vida neste...

Seminário Experiências Iberoamericanas de Polícias de Promoção da Igualdade Étnico-Racial com Perspectiva de Gênero

Seminário Experiências Iberoamericanas de Polícias de Promoção da...

‘Quando me olho no espelho, dói muito’, diz baiana agredida por PM

Cozinheira perdeu globo ocular após receber golpe de um...
spot_imgspot_img

Adolescente denuncia mulher por agressão e injúria racial em Rio Preto

Um adolescente de 13 anos denunciou ter sofrido injúria racial e ter sido esganado por uma mulher após discutir com o genro dela, em São...

Posicionamento: pela divulgação do Relatório de Monitoramento de Violações na Baixada Santista

Geledés -Instituto da Mulher Negra apoia a Comissão Arns e as organizações da sociedade civil no repúdio às execuções sumárias e com exigência de...

Entidades denunciam execuções, invasões ilegais de casas e abusos durante operação da PM na Baixada Santista

Entidades de defesa dos direitos humanos e institutos ligados à segurança pública entregaram na noite desta segunda-feira (26), ao procurador-geral de Justiça, Mario Sarrubbo, um...
-+=