MPF/AP denuncia jornalista por postagens racistas em site de rede social

Em novembro de 2012, Igor Reale Alves publicou cinco mensagens racistas contra os índios da etnia Guarani-Kaiowá.

O jornalista amapaense Igor Reale Alves, 26 anos, foi denunciado por publicar mensagens com conteúdo racista em site de rede social. A ação foi ajuizada pelo Ministério Público Federal no Amapá (MPF/AP) em 26 de julho. Se condenado, ele pode cumprir pena de reclusão de até cinco anos e ter de pagar multa.

Segundo o documento, em novembro de 2012, o jornalista postou cinco mensagens racistas contra os índios Guarani-Kaiowá. Igor Reale se referiu à etnia com expressões de desprezo e incentivou o suicídio coletivo. A notícia chegou ao conhecimento do MPF/AP por representação da Fundação Nacional do Índio (Funai).

Nesse caso, a atuação do MPF/AP se deu com base na Lei nº 7.716/89. Nela, consta que serão punidos os crimes de discriminação ou preconceito contra raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional.

O procurador da República Felipe Moura Palha, que assina a ação, alerta: “As pessoas precisam estar atentas ao que publicam nas redes sociais. Elas não estão simplesmente pensando alto, mas reproduzindo o que pensam para milhares de outras pessoas em todo o mundo”. Ele também recomenda pensar duas vezes antes de postar. “Uma boa sugestão é imaginar se você diria aquilo em um palco diante de muitas pessoas. Se a resposta for negativa, desista da postagem”, orienta.

Racismo – Conforme a Constituição Federal, o crime de racismo é inafiançável e imprescritível. Para não propagar as ofensas à dignidade da etnia, as mensagens racistas não serão reproduzidas pelo MPF/AP.

Confira a íntegra da denúncia.

Número para acompanhamento processual: 0005047-45.2013.4.01.3100

Assessoria de Comunicação Social
Procuradoria da República no Amapá
(96) 3213 7815
ascom
Twitter: @MPF_AP

Fonte: Chico Terra

+ sobre o tema

Retrospectiva invisível

Foram 396 mortes por intervenção policial em São Paulo...

Carta à menina que perdeu o pai na chacina de Osasco

Antes de qualquer coisa: a culpa não é sua! Nem da...

Joel, o menino da capoeira, está morto

  Salvador - O menino Joel da Conceição Castro, de...

São Paulo teve 68 denúncias de racismo baseadas em lei estadual em um ano

Todas estão passando por investigação, mas ainda não houve...

para lembrar

Prada retira produtos de circulação após acusações de racismo

A Prada tornou-se a mais recente marca a ser...

“E o Vento Levou” retirado da HBO Max após protestos contra o racismo

O filme "E o Vento Levou" foi retirado da...

Pro Patria terá de jogar sem torcida após incidente racista com Milan

O Pro Patria, time da quarta divisão italiana, terá...

Jovem arrecada R$ 39 mil após pai cortar faculdade por namorar negro

Empresário nega racismo e diz que filha ‘precisava sair...
spot_imgspot_img

Educação escolar de negros com deficiência é marcada por capacitismo e racismo

Apesar da acessibilidade ser um direito garantido por lei para as pessoas com deficiência, a falta de ambientes acessíveis foi um dos principais problemas...

Em ‘Sitiado em Lagos’, Abdias Nascimento faz a defesa do quilombismo

Acabo de ler "Sitiado em Lagos", obra do ativista negro brasileiro Abdias Nascimento, morto em 2011, no Rio de Janeiro. A obra, publicada agora pela...

Registros de casos de racismo aumentam 50% entre 2022 e 2023 no estado de SP

Números obtidos via Lei de Acesso à Informação pela TV Globo, mostram que o número de ocorrências registradas por racismo e injúria racial tiveram alta...
-+=