“O feminismo branco foi construído em cima da precarização do trabalho da mulher negra”, diz Ana Maria Gonçalves

Enviado por / FonteCultura

Autora da obra 'Um Defeito de Cor' defendeu a manutenção de cotas raciais e de gênero na política

O Roda Viva recebe nesta segunda-feira (17) a escritora Ana Maria Gonçalves, autora do premiado livro ‘Um Defeito de Cor’.

Durante a entrevista, a autora defende a manutenção de cotas raciais e de gênero na política e em outras instituições, além de criticar a não contemplação da mulher negra no início do movimento feminista.

“O papel (das mulheres negras), acho que nunca foi valorizado na sociedade brasileira. Como eu disse, por exemplo, quando a gente começou a falar de feminismo… o feminismo branco foi construído em cima da precarização do trabalho da mulher negra. Então, ou seja, ela sempre foi relegada à essa invisibilidade dentro do tecido social brasileiro, embora ela seja maioria. Ela é 28% da população brasileira hoje”, comenta.

Segundo ela, ainda hoje, mulheres negras são preteridas em processos como entrevistas de emprego mesmo apresentando currículos melhores em relação às concorrentes brancas.

“Acho que a gente precisa começar a diferenciar sim (…) tratar os desiguais de maneira diferente para que a gente possa realmente tentar conseguir aí alguma igualdade. As cotas acho que são extremamente necessárias e importantes, não só dentro da política, mas dentro de todas as instituições brasileiras”, completa.

Participam da bancada de entrevistadores Adriana Ferreira Silva, jornalista e escritora; Rinaldo Gama, coordenador de conteúdo do Laboratório Arq. Futuro de Cidades do Insper e editor da BEI; Rosane Borges, jornalista e professora; Pedro Cesarino, antropólogo e escritor, professor do departamento de antropologia da FFLCH/USP e Paula Carvalho, editora do podcast 451MHz.

As ilustrações do programa são feitas pela artista e arte-educadora Nazura, de apenas 22 anos, que tem foco conceitual no pensamento decolonial e perspectiva afrofuturista.

Assista ao programa na íntegra:

+ sobre o tema

para lembrar

Jean Wyllys sugere punição a líderes religiosos por homofobia

O deputado acha que padres e pastores devem ser...

É tímida ação dos partidos para garantir mulher negra na política, diz pesquisadora

Apesar de aumento no número de mulheres eleitas recentemente,...

O conferencismo e o marchismo como formas de lutas políticas

Aconteceu em Brasília, em 18 de novembro, a Marcha...

“Aquilombamento é o que eu busco fazer no audiovisual” conta cineasta Carine Fiúza

Para Carine Fiúza, o audiovisual deve superar as barreiras...
spot_imgspot_img

TSE realiza primeira sessão na história com duas ministras negras

O TSE realizou nesta quinta (9) a primeira sessão de sua história com participação de duas ministras negras e a quarta com mais ministras...

Em reunião com a ministra das Mulheres, movimentos denunciam casos de estupros e violência em abrigos para atingidos pelas enchentes no RS

Movimentos feministas participaram de uma reunião emergencial com a ministra da Mulher, Cida Gonçalves, no final da tarde desta terça-feira (7), de forma online....

Documentário sobre Ruth de Souza reverencia todas as mulheres pretas

Num dia 8 feito hoje, Ruth de Souza estreava no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. O ano era 1945. Num dia 12, feito...
-+=