ONU: Mulheres e meninas foram esquecidas na resposta mundial à pandemia

Enviado por / FonteUniversa

Ativistas de 128 organizações de proteção a mulheres ligadas a ONU (Organização das Nações Unidas) lançaram um alerta para a comunidade internacional: há um grande risco de o mundo dar passos para trás em relação aos direitos das mulheres durante a pandemia de covid-19. Por isso, afirmam, é preciso um esforço urgente para evitar que isso aconteça.

As entidades, concentradas na Europa e na Ásia, pedem que os governos garantam um diálogo eficaz com a sociedade civil para garantir que as necessidades da população feminina estejam no centro das políticas adotadas em resposta à pandemia.

Para os grupos, é preciso levantar dados e estatísticas sobre o impacto da crise sanitária com recorte de gênero, sabendo, assim, quais os maiores desafios para mulheres e facilitando a criação de políticas públicas específicas.

Entre os maiores problemas, adiantam, estão a dificuldade de acesso à Justiça, o aumento da carga de trabalho doméstico sem remuneração, as altas taxas de desemprego e queda de renda entre mulheres, uma vez que elas são maioria na área da economia informal.

“As organizações de mulheres e a sociedade civil em geral devem ser parte integrante dos esforços de resposta e recuperação da covid-19”, afirma Alia El-Yassir, diretora regional da ONU Mulheres para a Europa e Central Ásia.

“Desde o início da pandemia, elas estão na linha de frente, trabalhando dia e noite para atender às necessidades de todos os grupos de mulheres e meninas, homens e meninos. Eles sabem o que precisa ser feito e pedimos a todos os parceiros de desenvolvimento que considerem seriamente as soluções que oferecem para que possamos continuar a garantir os princípios de igualdade e justiça social”, diz.

 

+ sobre o tema

Exploração sexual de crianças e adolescentes só tem 20% dos casos denunciados

Denúncias de exploração sexual de crianças e adolescentes representam...

Internet impulsionou surgimento de um novo feminismo

Redes sociais ajudaram a divulgar campanhas que chegaram às...

Participe do Seminário: “Mulheres no poder: e aí, cheguei! Como fazer a diferença?”

Quais estratégias ainda devem ser construídas para que as...

para lembrar

Geração perdida: Pandemia fará economia ter pior desempenho em 120 anos, com ameaça a futuro dos jovens

RIO - Décadas “perdidas” desperdiçam gerações, e os jovens...

Democracia não combina com racismo

A frase que dá título a este texto é...

Inovações sociais na pandemia: as contribuições das organizações negras

O corpo negro foi deixado para morrer! A quarentena...

Mãe, a culpa é sua

Desde segunda-feira, 2, circulam pelas redes sociais alguns links,...
spot_imgspot_img

Direito ao voto feminino no Brasil completa 92 anos

As mulheres são atualmente 52% do eleitorado brasileiro, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Apesar de serem maioria, há menos de um século  elas...

De 2,1 milhões inscritos no concurso público nacional, 56% são mulheres e maioria está na faixa até três mínimos

O Concurso Público Nacional Unificado (CPNU), também chamado de “Enem dos concursos”, teve 2.144.435 inscrições confirmadas, sendo 1.543.560 pagantes e 600.875 isentos. De acordo...

Ser menina na escola: estamos atentos às violências de gênero?

Apesar de toda a luta feminista, leis de proteção às mulheres, divulgação de livros, sites, materiais sobre a valorização do feminino, ainda há muito...
-+=