Guest Post »

A questão racial – da ditadura à democracia

Caminhos da Reportagem que vai ao ar no dia da Consciência Negra (20/11) aborda os movimentos de luta contra o racismo, que se uniram na ditadura e se multiplicaram na volta à democracia.

No, EBC 

Na efervescência cultural dos anos 70, a afirmação da identidade negra ganhou força com a criação do primeiro bloco afro do Brasil, o Ilê Aiyê, e o início do movimento “black power”, sob a influência da “soul music” dos Estados Unidos. O fundador do bloco, Vovô do Ilê, e o produtor cultural Don Filó, da formação original da banda Black Rio, contam estas e outras histórias. Outro foco de resistência foi a chamada imprensa negra, cujo exemplo mostrado no programa é a Revista Tição, do Rio Grande do Sul.

A violência policial contra os negros, sua exclusão dos resultados do milagre econômico e o desejo de mais liberdade de expressão levaram à criação do Movimento Negro Unificado (MNU). Os integrantes ousaram questionar o mito da democracia racial no Brasil, propagado pelo governo militar. Os órgãos da repressão monitoravam tanto os movimentos culturais quanto os políticos dos negros. Os principais nomes do MNU, como a ministra da Seppir Luiza Barros, Yedo Ferreira e Milton Barbosa dão seu depoimento.

Vovô do Ilê, fundador do primeiro bloco afro brasileiro.
Vovô do Ilê, fundador do primeiro bloco afro brasileiro.

Na redemocratização, muitas das pautas do movimento negro foram atendidas na nova Constituição, como a criminalização do racismo, o direito à demarcação de terras dos quilombos e o ensino da história da África nas escolas. Outras conquistas vieram nos últimos anos, como as cotas raciais. Mas muitos desses direitos ainda não são respeitados. É o que o Caminhos da Reportagemcomprova na visita aos quilombos Alto do Tororó e Rio dos Macacos, em Salvador, e nas gravações com integrantes da Campanha Reaja, que luta contra o extermínio de jovens negros, as principais vítimas da violência no país.

Ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), Luiza Bairros.
Ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), Luiza Bairros.

Reportagem: Débora Brito
Imagens: André Rodrigo Pacheco, Sigmar Gonçalves
Apoio às imagens: Ademar Dos Santos Izaguirres (RS), Amanda Brandão (RJ), Eduardo Domingues (SP), Milene Nunes (SP)
Auxiliares técnicos: Alexandre Souza, Edvan Viana
Produção: Beatriz Abreu
Apoio à produção: Aline Beckstein (São Paulo), Danilo Pedrazza (Rio Grande do Sul), Thais Araujo (Rio de Janeiro), Tiago Bittencourt (Brasília)
Arte: Julia Costa
Edição de imagem e finalização: André Eustáquio, Márcio Stuckert
Edição de texto: Ana Maria Passos
Agradecimentos: Januário Garcia, TVE-RS

 

Artigos relacionados