terça-feira, julho 5, 2022
InícioQuestões de GêneroApós comentários sobre estupro coletivo, estúdio rompe com desenhista brasileiro

Após comentários sobre estupro coletivo, estúdio rompe com desenhista brasileiro

Allan Goldman, que costumava colaborar com a DC Comics em histórias como a do Superman e dos Jovens Titãs, é defensor do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) nas redes sociais, conhecido por disseminar opiniões machistas e homofóbicas

Do Portal Fórum

A Chiaroscuro Studios, que representa o brasileiro Allan Goldman no mercado editorial americano, rompeu o contrato com o desenhista depois que ele fez comentários polêmicos sobre o caso de estupro coletivo no Rio de Janeiro, ocorrido na última quinta-feira (26).

A empresa informou, em comunicado, que resolveu “encerrar o relacionamento com artistas não alinhados com valores que, para nós, são absolutamente inegociáveis”. Goldman costumava colaborar com a DC Comics em histórias como a do Superman e dos Jovens Titãs.

Nas redes sociais, ele defende com frequência o deputado federal conservador Jair Bolsonaro (PSC-RJ), conhecido por disseminar opiniões machistas e homofóbicas. Sobre o episódio de violência sexual que chocou o país, o quadrinista ironizou a situação em uma postagem no Facebook.

“O que acontece se os 30 estupradores da menina alegaram que são mulheres? Segundo a ideologia de gênero dos esquerdistas, uma pessoa é o que sente, e sua biologia não importa”, escreveu. “Como a Justiça irá julgar o caso de uma mulher que foi violentada por 30 outras mulheres?”

Artigos Relacionados
-+=