Dino sobre caso Marielle: “Estamos próximos de esclarecer”

O ministro da Justiça afirmou nesta segunda-feira (24/7) que, nas próximas semanas, devem ocorrer outras operações contra alvos apontados nas investigações como mandantes do crime

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, garantiu que a Polícia Federal irá avançar nas investigações dos assassinatos da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes. Segundo ele, “não há crime perfeito”.

“Passos concretos, efetivos, relevantíssimos que estão sendo dados mostram que estamos próximos de esclarecer. Não há crime perfeito. Outras novidades com certeza ocorrerão nas próximas semanas”, declarou em coletiva de imprensa, nesta segunda-feira (24/7).

Os desdobramentos no caso ocorrem após a delação premiada do ex-policial militar Élcio de Queiroz, que confessou ter dirigido o carro usado no ataque e confirmou que Ronnie Lessa fez os disparos. O delator afirmou ainda que o ex-bombeiro Maxwell Corrêa, preso em operação da Polícia Federal nesta manhã, participou do crime fazendo campanas para descobrir a rotina de Marielle e no acobertamento dos autores.

Dino adiantou que novas provas foram geradas e que outros envolvidos já foram identificados. “Sem dúvida há a participação de outras pessoas, isso é indiscutível. As investigações mostram a participação das milícias e do crime organizado do Rio de Janeiro no crime.”

Segundo o ministro, a delação de Élcio trouxe elementos que motivaram a operação desta manhã. “Há aspectos que ainda estão sob investigação, em segredo de Justiça. O certo é que nas próximas semanas provavelmente haverá novas operações derivadas desse conjunto de provas colhidas no dia de hoje”, afirmou.

+ sobre o tema

Na Argentina, Mães da Praça de Maio prestam homenagem a Marielle Franco

Na tarde desta quinta-feira (15), enquanto acontecia no Rio...

Corpos Negros Ainda Estão na Mira #LegadoMarielle

Desde muito pequena aprendi sobre o assédio feminino, abordagem...

Bolsa de estudos Marielle Franco

O SIAPARTO tem o prazer de oferecer, em homenagem...

Universidade Johns Hopkins em Baltimore cria “Bolsa de Estudos Marielle Franco”

O Programa de Estudos Latino-Americanos (LASP) da Escola de...

para lembrar

Protesto não é crime! Anistia Internacional

A preparação para a Copa do Mundo fez com...

Apreensões sobre o racismo norte-americano

A pequena cidade de Ferguson, no Missouri (centro dos...

Pelo fim da pena de morte aos adolescentes. O caso São Remo

O “mito do adolescente violento” transforma o jovem, negro e...
spot_imgspot_img

Instituto Odara lança dossiê sobre a letalidade policial que atinge crianças negras na Bahia

O Odara - Instituto da Mulher Negra torna público o documento “Quem vai contar os corpos?”: Dossiê sobre as mortes de crianças negras como consequência...

Polícia Civil de Alagoas prende homem por injúria racial e ameaça

A Polícia Civil, por meio da seção de capturas da Dracco, realizou nesta terça-feira (9), o cumprimento de um mandado de prisão contra um...

PM que agrediu mulher no Metrô disse que ela tinha de apanhar como homem, afirma advogada

A operadora de telemarketing Tauane de Mello Queiroz, 26, que foi agredida por um policial militar com um tapa no rosto na estação da Luz do Metrô de São...
-+=