Maria Júlia poderá ser primeira negra na bancada do JN

Por: Jeff Benício

O Jornal Nacional está no ar há 45 anos, desde setembro de 1969. Somente em 2002 um jornalista negro surgiu na bancada: Heraldo Pereira.

Paulista de Ribeirão Preto, ele construiu carreira na emissora como repórter especializado em política, baseado em Brasília.

Desde então, participa do rodízio de apresentadores durante folgas e férias dos titulares, aos sábados e em ocasiões especiais. Além de ancorar coberturas especiais, como no domingo (5), sobre as eleições.

A partir da ascensão de Heraldo, começaram a circular comentários sobre a presença de uma mulher negra na bancada do principal telejornal da emissora líder em audiência no país.

Gloria Maria, que por 9 anos comandou o Fantástico, chegou a ser cogitada quando Fátima Bernardes comunicou que deixaria o JN, em 2011.

A cobiçada vaga acabou ocupada por Patrícia Poeta, que se despede do jornalístico no próximo dia 31, sendo substituída por Renata Vasconcellos.

O processo de troca de cadeiras e renovação de apresentadores deverá ter nova etapa no início de 2015.

O nome de Maria Júlia Coutinho surge como forte concorrente a uma vaga no rodízio de apresentadores do JN.

Hoje, ela aparece eventualmente no telejornal como moça do tempo, no quadro de previsão meteorológica, mesma função desempenhada em outros jornalísticos do canal, como o Bom Dia Brasil.

Chamada pelos colegas de emissora de Maju, a jornalista de 36 anos tem experiência em bancada. Apresentou telejornais na TV Cultura de São Paulo, inclusive ao lado de Heródoto Barbeiro, hoje âncora na Record News.

Foto: Zé Paulo Cardeal/TV Globo

 

Fonte: Terra 

LEIA TAMBEM:

Joyce Ribeiro – Presença do negro na TV também pode ser preconceito, considera apresentadora

 

Âncora do SBT Manhã, diz que sofreu preconceito na carreira

 

Negros continuam na luta por maior participação no telejornalismo

 

 

+ sobre o tema

Félix, Carrasco e cenas pedagógicas da novela das nove, por Cidinha da Silva

Na primeira cena, Niko, personagem gay, doce, honesto, ético,...

“Previsões furadas: deu caos na mídia”

Site "Muda Mais" questiona reportagens da grande mídia que...

Cinema Negro

Dias 06, 13, 20 e 27 de setembro, das...

A imprensa como o principal partido da oposição

O pensamento único, de direita, destilado diariamente pelos poucos...

para lembrar

Imprensa e Racismo

Maria Carolina Trevisan Foi em 1995, quando o então presidente...

Os filhos da mídia foram protestar na Paulista

Paulo Nogueira Os filhos da mídia foram neste sábado para...

A imprensa e a luta contra o racismo

Esquizofrenia. Essa foi a doença utilizada para justificar a...

Que mídia é essa?

O que a grande mídia, porta-voz e holofote da...
spot_imgspot_img

Geledés – Instituto da Mulher Negra abre novas turmas do Curso de Multimídia online e para todo Brasil 

O projeto de comunicação do Geledés – Instituto da Mulher Negra está abrindo novas turmas de formação em multimídia em parceria com o Zoom...

Morre Ykenga Mattos, que denunciou o racismo em seus cartuns, aos 71 anos

Morreu na manhã desta segunda-feira aos 71 anos o professor, sociólogo e cartunista carioca Bonifácio Rodrigues de Mattos, mais conhecido como Ykenga Mattos. Vítima...

Jornalistas negras para você acompanhar 

Seja na internet ou  na televisão, é notável o aumento de jornalistas negras que estão atuando em bancadas ou como repórteres. Essa presença entre...
-+=