Morre Tia Dodô, a porta-bandeira do primeiro título da Portela

Morreu, nesta terça-feira, Maria das Dores Alves, a Tia Dodô, da Portela. Ela estava internada desde o dia 22 de dezembro no Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, em Acari, na Zona Norte do Rio, com quadro grave de desnutrição e desidratação, somados a um tipo de infecção não divulgado. No último sábado, Dodô completou 95 anos de idade. A informação foi confirmada pelo assessor do vice-presidente da Portela, Marcos Falcon.

No Extra

Sambistas já lamentam em suas redes sociais a morte da primeira porta-bandeira portelense. Selminha Sorriso, porta-bandeira da Beija-Flor, relatou que rezou muito pela recuperação de saúde da “Rainha linda Dodô”. Outro que lamentou a morte de Dodô foi Diogo Jesus, atual mestre-sala da Mocidade.

O velório e enterro de Dodô será nesta quarta-feira no cemitério São João Batista, em Botafogo, na Zona Sul do Rio. A pedido da própria Dodô, nada será na quadra da escola. Ela repetiu diversas vezes que achava que a sede da escola era pra ser um local de alegria permanente.

História

Lendária porta-bandeira da Azul e branco, Dodô estreou na agremiação em 1935, aos 14 anos, conduzindo o pavilhão portelense e ajudando a escola a conquistar o primeiro dos 21 campeonatos. Natural de Barra Mansa, ela nunca deixou de estar com a Portela na Avenida. Ocupou o posto de primeira porta-bandeira até a década de 1950. Em 2004, teve papel de destaque no Sambódromo ocupando o posto de rainha de bateria. Há anos era de responsabilidade dela a organização da Ala das Damas, uma das mais tradicionais da escola, e à frente da qual sempre fez questão de desfilar. Católica fervorosa, era Dodô quem cuidava das cerimônias religiosas na quadra da agremiação, em Madureira.

Em 2004, teve papel de destaque no Sambódromo ocupando o posto de rainha de bateria, pelo qual ganhou o Estandarte de Ouro de Personalidade.

dodo.jpg

 

+ sobre o tema

Rachel Maia assume o cargo de CEO da Lacoste Brasil

Em seu último cargo à frente da Pandora Brasil,...

13 de abril: dia de celebração e luta para as mulheres do samba

“Não chora, meu bem, que dias melhores já vêm”....

Nísia Floresta: A feminista brasileira que você não encontrará nos livros de história

Pouco estudada, a escritora nordestina que viveu no século...

Discriminada, executiva de banco quer preferência em promoção

Segundo a executiva, o banco aproveitou sua licença-maternidade para...

para lembrar

Pesquisa revela que dois terços dos brasileiros viram uma mulher ser agredida

Pelo menos dois a cada três brasileiros já presenciaram...

Criança de 11 anos engravida pela segunda vez após violência sexual no Piauí

Uma criança que já havia engravidado por estupro e...

Elza Soares: “Ainda me machuca a perda dos meus quatro filhos”

Após mais de 60 anos de carreira, Elza Soares...
spot_imgspot_img

Zezé Motta recebe Preta Gil, Sheron Menezzes e Aline Wirley no ‘Especial mulher negra’

Artista que acabou de completar 80 anos, Zezé Motta recebe Aline Wirley, Preta Gil e Sheron Menezzes no “Especial mulher negra”, que será exibido...

Julho das Pretas: ‘Temos ainda como horizonte sermos livres das amarras históricas’, diz ativista

No dia 25 de julho será celebrado o Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha. E em alusão a data, o Julho das Pretas é realizado...

Meninas negras de até 13 anos são maiores vítimas de estupro no Brasil; crime cresceu 91,5% em 13 anos

O número de estupros no Brasil cresceu e atingiu mais um recorde. Em 2023, foram 83.988 casos registrados, um aumento de 6,5% em relação ao ano anterior....
-+=