Violação de direitos humanos da população negra: que fazer?

Enviado por / Fontedo Facebook

Violação de direitos humanos da população negra no Brasil: o que fazer?

Comissária Antonia Urrejola
Comissão Interamericana de Direitos Humanos

Adilson Moreira
Doutor em Direito de Harvard e Professor Universidade Mackenzie

Orlando Silva
Deputado Federal – PCdoB

Maria Silvia
Geledes e OAB-SP

Erica Malunguinho
Deputada Estadual – Psol

Elaine Mineiro
Uneafro Brasil

Beatriz Soares
Ativista e estudante de direito do Mackenzie

O processo de desumanização dos descendentes de africanos é elemento fundamente da própria nação brasileira. Esta população construiu, com seus corpos e suas vidas, a riqueza deste país, sem jamais usufruir dela, ao contrário, tem sido alvo histórico da negação de direitos, da violência e do genocídio.

O governo Bolsonaro derruba a máscara da hipocrisia e borra a maquiagem que sempre fez a imagem do brasil como um pais diverso e pacífico. A narrativa do ódio finalmente alcança a coerência com a prática cotidiana de um país que assassina uma pessoa negra a cada 23 minutos, promove chacinas diárias, aprisiona milhares a partir de estereótipos e origem racial, investe 80 tiros em famílias negras em tardes de domingo, e dá fim à vida de crianças negras, com tiros de fuzil, em plena luz dia.

Violações de direitos humanos das pessoas descendentes de africanos no Brasil é a regra. Temos resistido, mas em pleno 2019 ante a radicalização da barbárie, que fazer?

+ sobre o tema

Por que as altas desigualdades persistem?

Com o fim da escravidão, nutria-se a esperança de que...

A indiferença e a picada do mosquito

Não é preciso ser especialista em saúde para saber que condições...

Capitalismo é incompatível com democracia, afirma escritor Achille Mbembe

Um dos mais importantes pensadores do mundo, o camaronês Achille...

para lembrar

spot_imgspot_img

Fux volta atrás e admite entidades antirracistas em julgamento de ação contra racismo estrutural

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Luiz Fux recuou e admitiu que organizações que se dedicam ao enfrentamento do racismo participem como amicus curiae (amigo da corte) da ADPF...

388 anos por reparar

Hoje, 22/11 se inicia o julgamento da ADPF pelas nossas vidas. Em maio de 2022 a Coalizão Negra por Direitos, em parceria com partidos políticos...

Nota de Posicionamento da Coalizão Negra por Direitos contra o extermínio de pessoas negras e a guerra às drogas na Bahia

Nós da Coalizão Negra por Direitos, composta por 293 organizações da sociedade civil, viemos a público manifestar o nosso repúdio à política de letalidade...
-+=