Mangueira anuncia samba-enredo em homenagem à Marielle e mulheres que lutaram por direitos

Enviado por / FontePor Cíntia Alves, do GGN

 

A Mangueira anunciou para 2019 um samba-enredo que homenageia Marielle Franco e outras mulheres que batalharam por direitos ao longo da história brasileira. Há referência na música à Dandara dos Palmares, guerreira negra que lutava contra a escravidão, e Luíza Mahin, líder de revoltas pelos direitos dos negros na Bahia. “Eu quero o país que não tá no retrato”, diz o samba.

Confira a letra abaixo.

“Canção para ninar gente grande”

“Brasil, meu nego deixa eu te contar;

A história que a história não conta;

O avesso do mesmo lugar;

Na luta é que a gente se encontra.

Brasil, meu dengo a Mangueira chegou;

Com versos que o livro apagou;

Desde 1500, tem mais invasão do que descobrimento.

Tem sangue retinto, pisado;

Atrás do herói emoldurado.

Mulheres, tamoios, mulatos;

Eu quero o país que não tá no retrato.

Brasil, o teu nome é Dandara;

Tua cara é de Cariri;

Não veio do céu nem das mãos de Isabel;

A liberdade é um Dragão no mar de Aracati;

Salve os caboclos de Julho;

Quem foi de aço nos anos de chumbo;

Brasil chegou a vez de ouvir as Marias, Mahins, Marielles e Malês.

Mangueira, tira a poeira dos porões;

Ô, abre alas;

Pros seus heróis de barracões;

Dos Brasis que se faz um país de Lecis, Jamelões.

São verde e rosa as multidões” 

+ sobre o tema

Artista empodera mulheres com lindas ilustrações Plus Size

Às vezes, um amigo te convida para uma exposição...

Masculinidade e Cultura do Estupro

Na terça-feira, dia 24/5, um vídeo é compartilhado no...

Uma questão de gênero

A presença de mulheres como candidatas à vice-presidência nas...

Dodô da Portela é homenageada em grafite

A primeira porta-bandeira da história da Portela, Dona Dodô, falecida...

para lembrar

Sistema da PF não aceitou meu cabelo black power para foto de passaporte

Quero denunciar o enorme constrangimento que passei ontem na...

Apenas 12% das cidades brasileiras têm prefeitas mulheres; negras são 4%

Não é novidade para ninguém que a participação feminina...
spot_imgspot_img

O mapa da LGBTfobia em São Paulo

970%: este foi o aumento da violência contra pessoas LGBTQIA+ na cidade de São Paulo entre 2015 e 2023, segundo os registros dos serviços de saúde. Trata-se de...

Grupos LGBT do Peru criticam decreto que classifica transexualidade como doença

A comunidade LGBTQIA+ no Peru criticou um decreto do Ministério da Saúde do país sul-americano que qualifica a transexualidade e outras categorias de identidade de gênero...

TSE realiza primeira sessão na história com duas ministras negras

O TSE realizou nesta quinta (9) a primeira sessão de sua história com participação de duas ministras negras e a quarta com mais ministras...
-+=