Quem foi bell hooks? Escritora e ativista morreu aos 69 anos

Enviado por / FonteDo G1

Ela foi uma das escritoras feministas e teóricas mais importantes de sua geração.

bell hooks era uma escritora e ativista que morreu aos 69 anos nesta quinta-feira (15).

Uma das escritoras feministas e teóricas mais importantes de sua geração, ela era capaz de escrever ensaios com tom político, mas também bem pessoal.

O trabalho de hooks já foi descrito como “a redefinição do feminismo”. Para o jornal “Washington Post”, ela conseguiu ampliar um movimento que muitas vezes era visto principalmente como associado a mães e esposas brancas, de classe média e alta.

“A autora, professora, crítica e feminista fez sua transição cedo, de casa, rodeada de familiares e amigos”, escreveu a família dela em um comunicado.

Ela estava doente e rodeada de amigos e familiares quando morreu, de acordo com a sobrinha, Ebony Motley. hooks, que nasceu Gloria Jean Watkins, publicou seu primeiro livro de poemas “And There We Wept” sob seu pseudônimo em 1978.

O nome artístico, escrito inteiramente com letras minúsculas, era uma homenagem à bisavó.

Mais de 40 livros

A escritora e ativista bell hooks (Foto: Divulgação)

Depois, ela escreveu mais de 40 livros publicados em 15 idiomas diferentes. Os temas tratados por ela eram feminismo, racismo, cultura, política, papéis de gênero, amor e espiritualidade.

No Brasil, ganhou destaque por meio da publicação de obras traduzidas como “Olhares negros: raça e representação”, “Ensinando a transgredir: a educação como prática da liberdade” e “O feminismo é para todo mundo”.

Nesses textos, ela poderia também analisar clipes de Madonna ou a representação de negros americanos no cinema.

Watkins frequentou escolas segregadas no Condado de Christian, depois foi para a Universidade de Stanford na Califórnia e fez mestrado em inglês na Universidade de Wisconsin.

O doutorado em literatura, por sua vez, foi na Universidade da Califórnia em Santa Cruz.

Leia também:

Aclamada autora feminista negra, bell hooks morre aos 69 anos

bell hooks e as miudezas que importam

bell hooks deixa uma obra extensa, afetuosa e de um valor inestimável

+ sobre o tema

‘Ainda faltam papéis para a mulher negra’ , diz Ruth de Souza

Filmes da atriz estão em cartaz em mostra no...

Assim falou Luiza Bairros

Nascida em 1953, a gaúcha de Porto Alegre Luiza...

Mortes de mulheres negras aumentam 54% em dez anos

A violência contra as mulheres brancas diminuiu, mas contra...

“Queremos representatividade para além do comercial de xampu”

A blogueira Rosangela J. Silva é nossa primeira entrevistada...

para lembrar

Descolonizar escola, nova batalha de bell hooks

Começar por sempre pensar no amor comouma ação, em...

As dicas de livros, filmes e viagens de Aline Midlej

Aline Midlej nasceu no Maranhão, no seio de uma família...

A emoção na escrita das mulheres negras

Conceição é mulher, negra, nascida em uma extinta favela...
spot_imgspot_img

Livro põe mulheres no século 20 de frente com questões do século 21

Vilma Piedade não gosta de ser chamada de ativista. Professora da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) e uma das organizadoras do livro "Nós…...

“Thereza” | Atlânticos em transe sob a lua de Luanda, por Cidinha da Silva. Ep.3

No caminho de volta ao hotel, atravessei o terminal de ônibus, ladeei laterais de construções suntuosas à base de muito concreto próximas à orla,...

Conheça Abdias do Nascimento, o novo nome no livro de ‘Heróis do Brasil’

Nascido no dia 14 de março de 1914, na cidade de Franca, em São Paulo, Abdias do Nascimento foi um jornalista, escritor, ator e político...
-+=