Geledés: série sobre instituto da mulher negra criado por Sueli Carneiro ganha 1º trailer

Enviado por / FonteHypeness, por Vitor Paiva

Artigo produzido por Redação de Geledés

Foi lançado o trailer da websérie “Geledés – Caminhos e Legados”, que contará a história do Geledés – Instituto da Mulher Negra, criado também pela filósofa, escritora e ativista Sueli Carneiro ao lado de outras mulheres em 1988.

A série é parte das comemorações pelos 34 anos do instituto, e o primeiro episódio chegará ao Youtube do instituto no dia 25 de julho.

A história de Geledés

A websérie documental tem direção de Day Rodrigues e produção executiva de Duas Rainhas, e se dividirá em seis episódios de aproximadamente dez minutos para contar a história de Geledés, resgatar sua memória institucional, que se mistura à própria história do movimento negro no Brasil. “Geledés – Caminhos e Legados” virá com concepção de Sueli Carneiro, que é coordenadora executiva do Instituto e do Centro de Documentação e Memória Institucional.

O Instituto foi fundado em 30 de abril de 1988 como uma “organização da sociedade civil que se posiciona em defesa de mulheres e negros por entender que esses dois segmentos sociais padecem de desvantagens e discriminações no acesso às oportunidades sociais em função do racismo e do sexismo vigente na sociedade brasileira”, diz o site da instituição.

Assim, a ideia da série é promover uma reflexão sobre o legado das ações e projetos, pra que a memória e a luta passem para próximas gerações.

A filósofa, escritora e ativista Sueli Carneiro, uma das criadoras da instituição (Foto: André Seiti)

“Geledés foi fundado por dez mulheres negras no momento de redemocratização do Brasil, em 1988, quando o movimento negro estava se consolidando. Essas mulheres, de maneira autônoma, se apoiaram na ideia da irmandade, inclusive ao idealizar a instituição pela origem iorubá da palavra Geledés”, afirmou a diretora Day Rodrigues.

Os episódios contaram com participação de nomes como Antonia Aparecida Quintão, presidenta de Geledés, da deputada estadual Erica Malunguinho, da cantora, compositora e deputada estadual Lecy Brandão, da rapper Sharylaine, da pesquisadora e ativista Winnie Bueno, e muitas mais.

Cartaz comemorativo pelos 34 anos do Instituto (Portal Geledés/reprodução)

Dentro dos diversos temas que perpassam a questão racial e de gênero e o combate a toda discriminação, o Geledés desenvolve projetos e busca monitorar em seu Portal o debate público ao redor de tais temas no Brasil e no mundo.

Os episódios tratarão justamente desses tantos universos que se desdobram da luta do instituto, como as ações afirmativas, a memória institucional, as publicações, a revista Pode Crê. direitos humanos, e mais.

A diretora Day Rodrigues ao lado de Sueli (Cat Tenório/Instagram/@dayrodrigues_art/reprodução)

“Mais de trinta anos depois da fundação, a gente está numa crise política, por conta de um governo que não se responsabiliza por políticas públicas para combater as desigualdades no Brasil, principalmente as desigualdades raciais”, diz Rodrigues.

“Se a gente não pensar em políticas de preservação, não tem como garantir direitos para as próximas gerações com este Estado racista, patriarcal. Então, esse registro é importante para dar continuidade a essa história”, conclui a diretora. O canal de Youtube do Geledés pode ser acessado aqui.

+ sobre o tema

para lembrar

Negros no mundo corporativo

A Gerente de Negócios Camila Ramos fala sobre sua...

O maior legado do Ilê é a valorização do negro

A exposição Ocupação Ilê Aiyê a ser inaugurada no Itaú Cultural,...

8 de março: os desafios por justiça racial e de gênero

Ao refletirmos sobre a situação das mulheres negras na...

Lei de cotas e seus avanços

Ao longo dos anos a necessidade de se pensar...

STF declara Imprescritibilidade do Crime de Injúria Racial, equiparando ao crime de racismo.

Em decisão da 1ª Turma do STF entende que os crimes de Injúria por conotação racial (art. 140º, parágrafo 3º do Código Penal), se...

“Ser a primeira trans paraibana a pisar no tapete vermelho de Cannes foi marcante” diz Danny Barbosa

O filme Bacurau, premiado em maio pelo júri no Festival de Cannes (França), Festival de Cinema de Munique (Alemanha) e Festival de Lima (Peru),...

“Muitos jovens negros da luta não sabem que suas pautas são as mesmas de Abdias há 40 anos”, diz André Rodrigues

A escolha de um dos maiores ativistas negros da história do Brasil, Abdias do Nascimento, para ser tema do enredo da Mocidade Unida da...
-+=