Luiza Bairros apresenta balanço das ações da Seppir para bancada do PT

por Rogério Tomaz Jr.

Em reunião com a bancada do PT na Câmara dos Deputados, realizada nesta terça-feira (22), a ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), Luiza Bairros, apresentou um balanço da pasta nos primeiros onze meses do governo Dilma Rousseff e falou sobre os desafios para 2012.

A ministra lembrou que 2011 foi definido pelas Nações Unidas como o Ano Internacional do Afrodescendente e que a Seppir tem se dedicado ao aprofundamento das relações com a sociedade e com as demais instituições do Estado. “Dedicamos esses primeiros onze meses de governo para uma reorganização interna e para o aperfeiçoamento das relações da Seppir com a sociedade civil e com o poder público em geral, especialmente no âmbito da campanha ‘Igualdade racial é pra valer’, a partir da qual convocamos todos os agentes econômicos, políticos e sociais do Brasil para contribuírem com o trabalho de inclusão racial. Tivemos muito trabalho por conta do Ano Internacional do Afrodescendente e esperamos colher os frutos desse trabalho a partir do próximo ano” , declarou Luiza.

O líder do PT na Câmara, deputado Paulo Teixeira (PT-SP), citou alguns dos principais desafios nesta área e enalteceu a qualidade da titular da Seppir. “A luta pela igualdade racial é um tema ao qual a bancada do PT dá muita importância. Temos enormes desafios pela frente, como a titulação das terras quilombolas, a implementação do Estatuto da Igualdade Racial e o avanço do sistema de cotas no Brasil, e sabemos que a Seppir está à altura desses desafios, que são prioritários para a bancada e para o conjunto do PT”, enfatizou o líder.

O deputado Luiz Alberto (PT-BA) se disse otimista com relação ao desempenho da Seppir.”O governo da presidenta Dilma vem consolidando e ampliando as políticas públicas de promoção da igualdade racial iniciadas em 2003, com o ex-presidente Lula, e a Seppir tem desempenhado um papel fundamental nessa temática. Trata-se de uma área complexa e sensível, que depende da articulação das ações de vários ministérios, especialmente daqueles que executam políticas voltadas à população mais pobre do nosso País, já que 71% dos pobres são negros, mas o Brasil tem se tornado cada vez mais uma referência mundial neste campo, como a própria presidenta Dilma pôde ouvir, de diversos representantes internacionais, durante o recente Encontro Ibero-americano do Ano Internacional dos Afrodescendentes”, falou Luiz Alberto, citando evento internacional realizado em Salvador (BA) na semana passada.

Luiz Alberto e inúmeros outros deputados e deputadas, como Amauri Teixeira (PT-BA), Benedita da Silva (PT-RJ), Domingos Dutra (PT-MA), Edson Santos (PT-RJ), Janete Rocha Pietá (PT-SP) e Vicente Cândido (PT-SP) , defenderam o fortalecimento da estrutura da Seppir para que o órgão possa cumprir mais efetivamente suas funções.”A Seppir precisa ser transformada em ministério, com capilaridade em todo o Brasil, para que as demandas do povo negro possam ser atendidas com eficiência e rapidez”, defendeu Domingos Dutra.

Julgamentos no STF – Duas preocupações do momento para a Seppir são as ações direitas de inconstitucionalidade (ADINs 3197 e 3239) que questionam as cotas raciais nas universidades e o decreto 4.887/03, que regulamenta o processo de reconhecimento, demarcação e titulação dos territórios quilombolas. As ADINs são de autoria do partido Democratas (DEM) e a ministra Luiza Bairros disse que o governo está atento para os julgamentos. “Estamos vigilantes e a Advocacia Geral da União está cuidando de apresentar todos os argumentos e subsídios para os ministros do STF em relação a estes julgamentos”, disse a ministra.

“Vamos expressar aos ministros do Supremo a posição do PT, contrária às ações do DEM, e lutar para que não tenhamos retrocesso nessas matérias”, acrescentou o líder Paulo Teixeira.

Fonte: JusBrasil

+ sobre o tema

Exposição “Todas as faces de Maria” homenageia as mulheres negras.

Ontem foi a abertura da exposição “Todas as faces...

Quem tem deputado machista não precisa de inimigos

Quero fazer deste artigo um ato de repúdio contra...

para lembrar

Eliane Marques: A delicadeza da poesia que se transforma em revolução

Ela escreve, faz poesia, e estudou muito para chegar...

Aprovada inclusão do feminicídio no Código Penal

Os senadores aprovaram o substitutivo da senadora Gleisi Hoffmann...

Mulheres ou meninas: somos todas clandestinas

Surpreendida pela velocidade e imponência do seu próprio crescimento;...

“Tinha medo do que iam pensar de mim”, diz homem vítima de violência doméstica

Um britânico cuja ex-namorada o deixou com ferimentos graves...
spot_imgspot_img

O que está em jogo com projeto que torna homicídio aborto após 22 semanas de gestação

Um projeto de lei assinado por 32 deputados pretende equiparar qualquer aborto realizado no Brasil após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio. A regra valeria inclusive para os...

Justiça brasileira não contabiliza casos de homotransfobia, cinco anos após criminalização

O STF (Supremo Tribunal Federal) criminalizou a homotransfobia há cinco anos, enquadrando o delito na lei do racismo —com pena de 2 a 5 anos de reclusão— até que...

Maria da Conceição Tavares: quem foi a economista e professora que morreu aos 94 anos

Uma das mais importantes economistas do Brasil, Maria da Conceição Tavares morreu aos 94 anos, neste sábado (8), em Nova Friburgo, na região serrana do Rio...
-+=