Coronavírus na África, a terceira onda

dos 54 países africanos, pelo menos 40 já testaram positivo para o COVID-19; as maiores incidências estão localizadas em Burkina Faso, no Egito e na África do Sul.

Por Lelê Teles enviado para o Portal Geledés

Reprodução/ Twitter
curiosamente, não são os chineses os maiores propagadores do vírus no continente negro; embora haja um grande fluxo de chineses por lá.
a maioria dos casos está ligado a pessoas que vieram da Europa.
não se sabe como o vírus vai reagir em temperaturas elevadas, sabe-se que ele não é fatal para organismos jovens e sabemos que a África é um continente de população não muito longeva; apenas 5% dos mais de 1 bilhão e 300 milhões de africanos têm mais de 65 anos.
para se ter uma ideia, na Itália esse contingente é maior que 23%.
no entanto, há milhões de jovens infectados com o vírus da aids, sobretudo na África do Sul e ainda há surtos de ebóla, meningite, malária e tuberculose;  e para piorar, muitas regiões apresentam quadros dramáticos de subnutrição.
na África subsaariana, 63% da população – 258 milhões de pessoas – não tem sequer acesso a sabão e água limpa para lavar as mãos.
o continente, atordoado, tenta se precaver, Angola, África do Sul, Senegal, Mauritânia, Argélia, Líbia e Egito já se fecharam para a Europa, turistas estão sendo colocados em quarentena.
a Mauritânia impôs toque de recolher  e fechou cafés e restaurantes; a Nigéria, que é o país mais populoso de África, fechou escolas e impôs um limite a eventos religiosos, o Egito também esvaziou os espaços públicos com grandes concentrações de pessoas e fechou todos os centros educacionais ; a África do Sul criou restrições para botecos e afins.
muitos países já começam a fazer o controle de temperatura e dispõem de equipamentos para realizar os testes; o diabo é que os sintomas iniciais da malária, que mata 400.000 africanos por ano, são bem parecidos com os do coronavírus, o que dificulta o diagnóstico.
o precário sistema de saúde é outro agravante, faltam equipamentos, unidades de terapia intensiva e médicos.
para se ter uma ideia, a Itália, que tá perdendo de sete a um para o vírus, tem 41 médicos para cada dez mil habitantes, no continente africano há dois médicos para cada dez mil pessoas.
lembrando que a epidemia do Ebóla, entre 2014 e 2016 que atingiu Libéria, Nigéria, Serra Leoa, Senegal, Mali… levou o sistema de saúde ao colapso, deixando mais de 11 mil mortos no continente e mais de 28 mil infectados.
um drama gigantesco se desenha, é preciso saber como o mundo vai se comportar.
quando essa imagem passar a exibir rostos negros e máscaras com bandeiras de países que muita gente nem sabe o nome, saberemos se alguma coisa mudou no mundo por conta desse vírus, ou se a solidariedade humana é mesmo uma coisa epidérmica.
veremos se realmente há neste mundo as pessoas e as não-pessoas.
palavra da salvação.

 

Leia Também:

A importância de estamos juntos, mesmo à distância.

Nota da coalização negra por direitos sobre o Covid-19

O cuidado e o feminismo em tempos de pandemia

Especialista prevê alta de infecção nos presídios nas próximas semanas


** Este artigo é de autoria de colaboradores ou articulistas do PORTAL GELEDÉS e não representa ideias ou opiniões do veículo. Portal Geledés oferece espaço para vozes diversas da esfera pública, garantindo assim a pluralidade do debate na sociedade.

+ sobre o tema

Aos 93 anos, Nelson Mandela é internado com dores abdominais

Ícone sul-africano da luta contra o apartheid, Nelson Mandela,...

Dramaturga negra que conquistou palcos ingleses

Por JOANA EMÍDIO MARQUES   Estreou uma peça...

para lembrar

Carolina Maria de Jesus: filha fala sobre vida e obra da escritora

Entrevista com Vera Eunice, filha de Carolina Maria de...

Criolo e Mano Brown falam sobre racismo, ambição, Ferraris e Bolsonaro

Representantes de gerações diferentes do rap brasileiro, eles vão...

Relatório sugere que Brasil reconheça crime de escravidão

Comissão Nacional da Verdade quer pedido oficial de desculpas...

Iza fala de empoderamento feminino e representatividade da mulher negra

Formada em Publicidade e Propaganda, Iza viu sua vida...
spot_imgspot_img

6 brasileiros que lutaram pelo fim da escravidão no Brasil

O fim da escravidão no Brasil completa 136 anos em 13 de maio deste ano. Em 1888, a princesa Isabel, filha do imperador do Brasil Pedro 2º,...

MinC vai lançar plataforma de streaming voltada ao audiovisual nacional

O Ministério da Cultura está se preparando para lançar, ainda no segundo semestre deste ano, uma plataforma de streaming dedicada à produção audiovisual brasileira. Idealizado pela Secretaria do Audiovisual...

Leci Brandão – Na Palma da Mão em curta temporada no Imperator

Com direção de Luiz Antonio Pilar e texto de Leonardo Bruno, musical que celebra vida e obra da artista se apresenta no Imperator Vencedor do Prêmio Shell de Teatro na categoria "Direção" Nome incontornável da música brasileira, compositora e intérprete de...
-+=