quinta-feira, outubro 29, 2020

    Planos de Aula

    Imagem: iStock/RomoloTavani

    Plano de Aula: Sujeitos sociais e interesses envolvidos na abolição da escravidão no Brasil

    por Leide Divina Alvarenga Turini  - UBERLANDIA - MG Universidade Federal de Uberlândia e Coautor(es): Aléxia Pádua Franco no Portal do Professor Estrutura Curricular MODALIDADE / NÍVEL DE ENSINO COMPONENTE CURRICULAR TEMA Ensino Médio História Processo histórico: nações e nacionalidades Ensino Fundamental Final História Nações, povos, lutas, guerras e revoluções Educação de Jovens e Adultos - 2º ciclo História Trabalho e relações sociais O que o aluno poderá aprender com esta aula Identificar diferentes sujeitos sociais envolvidos no processo de abolição da escravidão no Brasil. Analisar os interesses de diferentes sujeitos sociais no processo de abolição da escravidão no Brasil. Duração das atividades 04 aulas de 50 minutos Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno O sistema escravista no Brasil entre os séculos XVI e XIX. Estratégias e recursos da aula Aula 1 Motivar os alunos para a discussão do tema a partir da reflexão sobre o predomínio de uma determinada imagem do...

    Leia mais
    gravura da capa Johann Rugendas no Medium

    Lista com nomes de navios negreiros escancara cinismo dos comerciantes de seres humanos no Oceano Atlântico

    Além de tudo, dissimulados Não há páginas da história da escravidão que não nos envergonhe. Essa, talvez ainda pouco abordada, trata dos dissimulados nomes que os donos das embarcações davam as seus infernos flutuantes, os navios negreiros — ou navios "tumbeiros", que vem de tumba, sinônimo de caixão. As histórias desses barcos de nomes revoltantes estão expostas no mais amplo estudo do comércio transatlântico de seres humanos, iniciado ainda na década de 1960, e reunido pela Universidade de Emory (EUA), no site slavevoyages.org. É partir desta pesquisa que reunimos aqui uma lista com alguns dos mais nojentos nomes encontrados. Wilson Prudente é relator da Comissão da Verdade da Escravidão Negra da OAB do Rio de Janeiro e um dos brasileiros descendentes de escravos mais engajados em recuperar a história do povo de seus antepassados africanos. Ele garante que os abjetos nomes desses barcos não eram por acaso: Imagens retiradas do site: medium.com “Eram para intimidar!” O historiador Daniel Domingues...

    Leia mais

    Dandara A Face Feminina de Palmares – Aplicando a Lei 10.639/03

    A educadora Amanda Cabral, da Emef do Município de Vitória ES, trabalha a cultura afrobrasileira com seus alunos resgatando histórias e textos com linguagem mais simples que atendam a faixa etária da turma (onde escreve a maior parte deles). por Amanda Cabral via Guest Post para o Portal Geledés Imagem enviada ao Portal Geledés Aplicando a Lei 10.639/03 em um estudo sobre Dandara e um texto criado foi realizado um filme. ***** Todos os alunos que participaram da filmagem foram devidamente autorizados pelos pais que permitiram em documento assinado pelos mesmos a divulgação do vídeo e sua imagem. Leia mais sobre Dandara ** Este artigo é de autoria de colaboradores ou articulistas do PORTAL GELEDÉS e não representa ideias ou opiniões do veículo. Portal Geledés oferece espaço para vozes diversas da esfera pública, garantindo assim a pluralidade do debate na sociedade.

    Leia mais
    Imagem: Mel Yattes/Getty Images

    Plano de Aula – Identidade negra e racismo

    Valorizar a identidade negra e combater ações de discriminação e preconceito são o primeiro passo para se alcançar uma sociedade racialmente justa no Revista Escola Imagem: Mel Yattes/Getty Images No Brasil, a cor ou raça é autodeclarada: ao responder ao Censo Demográfico ou outras pesquisas, cada um diz se é preto, pardo, branco, amarelo ou indígena. Essa identidade normalmente se relaciona à cor da pele e a outras características físicas, não à ancestralidade. É comum, por exemplo, que um filho de pai ou mãe negra, mas que tem a pele mais clara, se declare branco. Em outros contextos, que não o da pesquisa, assumir a negritude é um ato político: trata-se de tomar para si a história e cultura do grupo, suas raízes, suas lutas. A escola precisa colocar os alunos em contato com os elementos que formam cada grupo étnico brasileiro, para que eles sejam...

    Leia mais
    Pixabay

    Plano de Aula: Contos Africanos

    Na cultura africana a fala ganha força, forma e sentido, significado e orientação para a vida. A palavra é vida, é ação, é jeito de aprender e ensinar. “O poder da palavra garante e preserva ensinamentos, uma vez que possui uma energia vital, com capacidade criadora e transformadora do mundo. Energia que possui diferentes denominações para as diversas civilizações, por exemplo, para os bantus essa energia é hamba, já para o povo iorubá a energia é o axé.” Pixabay   A tradição oral pode ser vista como um cabedal de ensinamentos, saberes e conhecimentos que veiculam e auxiliam homens e mulheres, crianças, adultos/as e velhos/as a se integrarem no tempo e no espaço e nas tradições. Sem poder ser esquecida ou desconsiderada, a oralidade é uma forma encarnada de registro, tão complexa quanto a escrita, que se utiliza de gestos, da retórica, de improvisações e de...

    Leia mais
    iStockphoto

    Plano de aula: Preconceitos

    Preconceitos por Rosipapim em Brainly Objetivo(s)  Este projeto tem como objetivo introduzir o conceito de preconceito como algo ruim as crianças, pois estão aptos a desenvolver o tema como esperado. Conteúdo(s)  É necessário que o professor introduza o tema, por meio de leitura, pequenos contos e ilustrações que remetam a diversidade, seja ela, de raça, sexo, religião ou outra. iStockphoto Após assimilarem o conceito de diferenças entre as pessoas, como um todo, mostrar a eles a forma errada de encarar essas diferenças, o chamado preconceito racial,deficiência física e mental. Ano(s) 3º ano ensino fundamental I   Indicação de texto Preconceito, racismo e discriminação no contexto escolar Material necessário  · Vídeo e textos reflexivos aos alunos  · figuras ilustradas sobre preconceito. · objetos diferentes mas com a mesma função , para as crianças compararem as diferença entre cada um   Desenvolvimento  1ª etapa Apresentar o texto e ver o...

    Leia mais
    @PAULBONAFIDEEFERIANOR

    Preconceito, racismo e discriminação no contexto escolar

    Existe muito preconceito, racismo e discriminação no contexto escolar e este é um grande problema de todos nós.Vamos esclarecer um pouco sobre cada conceito Por FLÁVIA CUNHA LIMA (Professora Formadora da Diversidade) CEFAPRO – Barra do Garças Imagem Ilustrativa @PAULBONAFIDEEFERIANOR Preconceito Preconceito é uma opinião que formamos das pessoas antes de conhecê-las.É um julgamento apressado e superficial e muito perigoso, pois ao invés de melhorar a nossa vida e da sociedade, acaba trazendo muitas situações complicadas e até mesmo violentas. Racismo As pessoas que não conseguem deixar de ser preconceituosas podem vir a se tornar racistas. Um racista acredita que existe raças superiores às outras, o que é grande tolice, pois na espécie humana, não podemos dizer que existam raças; a cor da pele, a forma do nariz, o tipo do cabelo, o tipo do sangue, o formato e cor dos olhos, a espessura dos lábios,...

    Leia mais
    Imagem: iStock/RomoloTavani

    Plano de aula: A Rota do Escravo – A Alma da Resistência

    Imagem: iStock/RomoloTavani O filme "A Rota do Escravo - A Alma da Resistência", é uma história do comércio de seres humanos que é contada através das vozes de escravos, mas também dos mestres e comerciantes de escravos. Cada um conta sua experiência: da deportação de homens e mulheres para as plantações até o cotidiano do trabalho e os movimentos de abolição. Produzido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), traduzido e dublado pelo Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio).

    Leia mais
    Foto: ABR

    6 filmes nacionais para trabalhar na sala de aula

    Especialista em audiovisual e educação faz a indicação de obras do cinema nacional que podem ser usadas na escola Foto: ABR Há cerca de um mês, a exibição mensal de filmes nacionais passou a ser obrigatória para as escolas da educação básica de todo o país. A determinação faz parte de uma nova regra que foi incluída na LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional). Para ajudar os professores, o Porvir separou uma lista com algumas obras do cinema nacional que podem ser utilizadas na sala de aula. As indicações foram apresentadas por Cláudia Mogadouro, pesquisadora do Núcleo de Comunicação e Educação da USP. Todos os filmes inseridos na lista têm materiais de apoio e planos de aula que foram publicados pela pesquisadora no site Net Educação.  Confira os filmes indicados: 1. Tainá 3 – A Origem (Rosane Svartman) O filme da conta a...

    Leia mais
    Foto: Leo Pinheiro

    A brasileira África dos escravos retornados

    Alguns países da África Ocidental, como Gana, Togo, Benin e Nigéria, abrigam comunidades que cantam samba, comem feijoadá (assim mesmo, com acento agudo na última sílaba) e cultivam vários outros hábitos relacionados às tradições brasileiras. Trata-se dos descendentes dos cerca de 5 mil escravos libertos que retornaram à África no século XIX e que, segundo o antropólogo Milton Guran, do Laboratório de História Oral e Imagem da Universidade Federal Fluminense (UFF), usam a matriz cultural de nosso país, ou seja, recriam uma brasilidade própria, para se constituírem como um grupo social diferenciado. por Márcia Pimentel, do MultiRio Foto: Leo Pinheiro As principais comunidades de descendentes de escravos brasileiros que retornaram à África são as dos tabom (em Gana) e dos agudás (em Togo, Benin e Nigéria). Guran explica que a origem da distinção entre eles e os demais africanos relaciona-se ao fato histórico dos retornados terem sido os primeiros...

    Leia mais
    iStockphoto

    “Você faz a Diferença” retrata racismo no ambiente escolar

    Dirigido por Miriam Chnaiderman, curta reúne depoimentos de alunos e professores sobre preconceito e a importância de refletir sobre as diferenças Do Catraca Livre iStockphoto Educação é elemento básico para o desenvolvimento de qualquer pessoa e a escola desempenha um papel fundamental nesse processo. Contudo, o ambiente escolar não está livre das muitas “chagas” que assolam o convívio social. Uma delas  - talvez a que mais resista à emancipação do pensamento humano – é discriminação racial. Um documentário produzido em 2005 buscou retratar as muitas facetas do preconceito no âmbito escolar. Intitulado “Você faz a Diferença”, o trabalho dirigido por Miriam Chnaiderman reuniu depoimentos de alunos, professores e pessoas que por conta de sua etnia ou condição social foram coagidas e humilhadas. O doc pode ser assistido na íntegra    

    Leia mais
    Getty Images

    Um outro olhar: 6 curiosidades sobre Camarões

    Getty Images Conheça um pouco sobre o país do oeste da África, de cerca de 21 milhões de habitantes. 1- De onde vem o nome? O nome Camarões surgiu de navegadores portugueses, que chegaram à região no século 15. Impressionados pela quantidade de camarões no rio Wouri, eles nomearam-o de Rio dos Camarões, palavra que, depois, daria nome ao próprio país. 2 - Que língua? Os idiomas oficiais são o inglês e o francês. Além disso, o alemão e o espanhol também são falados por partes da população. Acredita-se haver cerca de 250 línguas locais, representando diferentes grupos étnicos. O norte é de maioria muçulmana, enquanto cristãos - católicos e protestantes - dominam o sul. 3 - 30 anos no poder O presidente, Paul Biya, está no poder desde 1982 e, em 2011, foi eleito para um novo mandato de sete anos em meio a diversas...

    Leia mais

    Hoje na História, 18 de Junho, comemora-se o dia do Tambor de Crioula

    Nesta quarta-feira (18) comemora-se o dia do Tambor de Crioula, que é reconhecido desde 2007 pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) como patrimônio cultural brasileiro. Do  Foki Reprodução/YouTube O som é contagiante. A dança hipnotizante. O canto é improvisado. A descrição é comum para quem experimenta pela primeira vez uma apresentação do Tambor de Crioula. No Maranhão, a manifestação se apresenta livremente, não tendo uma época fixa. Há uma concentração maior dos grupos durante o Carnaval, nas Festas Juninas e nos rituais de morte do Bumba-meu-boi. Em São Luís, mais de 100 grupos estão oficialmente cadastrados nas instituições culturais. Antigamente, as brincadeiras de Bumba-meu-boi e o Tambor de Crioula – as manifestações mais representativas do Maranhão – aconteciam sempre juntas. Identificam-se influências de uma em outra, descritas por vários estudiosos do assunto, presente nas cantigas, no ritmo dos toques e das danças e...

    Leia mais

    Grandes Reis e Rainhas da África

    Reis e Rainhas da África As Rainhas Rainha Amina Amina de Zaria Escultura pública da guerreira Rainha Anima da Nígéria Rainha Makeda - O verdadeiro nome da Rainha da Etiopia, a esposa de Salomão Rei da Judéia Makeda - Rainha de Sabá Rainha Kahina Morreu em 705 AD. Lutou contra a incursão árabe no Norte da África Busto de Cleopatra VII disposta no Museu Britânico. A real face da Rainha Cleopatra, esta imagem de uma mulher jovem feito da mistura étnica Grego e Egipcio, é muito diferente da versão feita por Elizabeth Taylor no filme Cleopatra (1961). Supondo que ela não era completamente europeia já que sua familia tinha vivido no Egito a 300 anos atras. [caption id="attachment_14668" align="aligncenter"...

    Leia mais
    Divulgação / Comissão de Direitos Humanos da Alerj

    O que é macumba

    Macumba é uma espécie de árvore africana e também um instrumento musical utilizado em cerimônias de religiões afro-brasileiras, como o candomblé e a umbanda. Divulgação / Comissão de Direitos Humanos da Alerj   O termo, porém, acabou se tornando uma forma pejorativa de se referir a essas religiões - e, sobretudo, aos despachos feitos por alguns seguidores . Na árvore genealógica das religiões africanas, macumba é uma forma variante do candomblé que existe só no Rio de Janeiro. O preconceito foi gerado porque, na primeira metade do século 20, igrejas neopentecostais e alguns outros grupos cristãos consideravam profana a prática dessas religiões. Com o tempo, quaisquer manifestações dessas religiões passaram a ser tratadas como "macumba".  

    Leia mais

    Plano de aula: A Arte literária e processos de identidade étnico-racial dos afro-brasileiros

    Este é um plano de aula vencedor do I Concurso de Planos de Aula do Portal Geledés, aplicando a Lei 10.639/03 Plano de aula: A Arte literária e processos de identidade étnico-racial dos afro-brasileiros Professora: Patrícia Sodré dos Santos Matéria: Literatura Infantil e relações étnico-raciais Turma/Série: Educação Infantil Cidade: Rio de Janeiro Estado: RJ COMPONENTE CURRICULAR: APLICANDO A LEI 10.639/2003   Projeto “Mangueira teu cenário é uma beleza...” Creche Municipal Vovó Lucíola “Todo mundo te conhece ao longe Pelo som dos seus tamborins E o rufar do seu tambor Chegou ô, ô, ô, ô A Mangueira chegou, ô, ô Mangueira teu passado de glória Está gravado na história É verde e rosa a cor da tua bandeira Prá mostrar a essa gente Que o samba é lá em Mangueira” (Exaltação à Mangueira- Jamelão) Introdução Sobre a Creche Municipal Vovó Lucíola, Mangueira e seu cenário. Nossa creche está localizada na comunidade da Mangueira, mais...

    Leia mais
    Pixabay

    Plano de aula: Viajando pela África através de Brincadeiras Infanto-Juvenis

    Este é um plano de aula vencedor do I Concurso de Planos de Aula do Portal Geledés, aplicando a Lei 10.639/03   Plano de aula: Viajando pela África através de Brincadeiras Infanto-Juvenis Pixabay Professora: Carmem Dolores Alves Escola:  Municipal Educador Paulo Freire Disciplinas: Língua Portuguesa, Geografia e Artes     Turma: 5º ano C Cidade: Recife          Estado: Pernambuco Componente Curricular: A LEI 10.639/2003 OBJETIVO: Promover uma reflexão acerca da África através de intercâmbio literário entre os estudantes da Escola Municipal Educador Paulo Freire (Brasil) e a Escola Tutune, da República Democrática de São Tomé e Príncipe (África). CONTEÚDOS: Continente Africano; Aspectos socioeconômicos e culturais da República Democrática de São Tomé e Príncipe; Leitura do texto narrativo africano NDULE NDULE Noções básicas dos conceitos de Inferência e Intertextualidade; Produção textual a partir da releitura do referido texto narrativo africano. METODOLOGIA:  Aplicação de atividades dentro de uma perspectiva transdisciplinar, que contempla vivências...

    Leia mais
    One Love

    Plano de Aula – One Love, um amor: todos juntos é bem melhor

    One Love, um amor: todos juntos é bem melhor Este é um plano de aula vencedor do I Concurso de Planos de Aula do Portal Geledés, aplicando a Lei 10.639/03 Professora: Míghian Danae Ferreira Nunes Matéria: Educação Infantil Turma/Série: Segundo Estágio (05 a 06 anos) Cidade: São Paulo Estado: São Paulo COMPONENTE CURRICULAR: APLICANDO A LEI 10.639/2003 APRESENTAÇÃO Nas turmas de educação infantil, comumente trabalhamos com sequencias didáticas ou projetos educativos, um bimestre, conseguem visto que, sendo realizado em tempos como uma semana, um mês ou mesmo alguns dias, conseguem aliar-se a uma perspectiva de trabalho que pensa a educação menos compartimentada. Tais sequencias ou projetos inserem- se numa perspectiva transdisciplinar e, nesse sentido, este plano de aula será realizado não apenas em um dia, mas numa sequencia de atividades propostas durante quatro dias, no final do mês de junho de 2013. Esta sequencia tem por nome One Love, um amor: todos juntos...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist